O Design Thinking é um processo de inovação orientado a pessoas e voltado a protótipos. É uma abordagem útil para entender e resolver desafios complexos, em que as metodologias clássicas já não são capazes de propor soluções assertivas. Empresas como a Apple, Coca-Cola, IBM, Nike, Proctor & Gamble e muitas outras não apenas usam o Design Thinking, mas também começam a mostrar resultados significativos. Essas empresas superaram seus concorrentes na última década com 211%, medidos pelo Design Value Index (avaliação do Design Management Institute), complementados por outros diversos estudos que reforçam a importância do Design Thinking na atualidade.

Essa proposta de análise tem o foco em encontrar o problema certo a ser resolvido, através da busca pelo entendimento profundo do usuário e, consequentemente, objetiva a criação de soluções personalizadas e assertivas. É necessário, então, desenvolver empatia pelo cliente afim de apresentar soluções que sejam compatíveis ao cenário proposto, envolvendo sempre a tecnologia para otimização de processos.

Os bons resultados das empresas acima mencionadas estimulam muito mais empresas a desenvolver sua competência em Design Thinking para se tornarem inovadoras e prontas para a mudança.

Design Thinking não é apenas para o desenvolvimento de produtos

Até agora, o Design Thinking tem sido aplicado principalmente ao desenvolvimento de novos produtos, serviços e modelos de negócios. No entanto, ele pode ser usado em várias áreas para resolver problemas complexos, como no design de processos e estruturas organizacionais, na colaboração de equipes, no treinamento e desenvolvimento e outras áreas.

Geralmente começa nos departamentos onde o desenvolvimento do produto ocorre ou como uma iniciativa independente e multidisciplinar para criar novos produtos e serviços. Cada vez mais, essas empresas percebem que as ideias e métodos do Design Thinking podem ser usados ​​para propósitos muito mais amplos nas organizações.

O Design Thinking pode ser útil ao RH?

O Design Thinking pode ser aplicado à área de Recursos Humanos, uma vez que se concentra em problemas complexos por natureza e em problemas que afetam as pessoas. Dessa forma, é possível humanizar cada vez mais os processos de RH. Empresas como Linkedin, Citrix, Nestlé e Cisco já implementaram com sucesso o Design Thinking em RH e o objetivo pode ser diferente.

O Design Thinking traz para o RH uma filosofia e um conjunto de ferramentas que podem ajudar a fazer uma mudança, oferecendo metodologias para reinventar todos os aspectos do trabalho. Ademais, garante que o RH se transforme de um modelo tradicional orientado a processos (onde os sistemas são construídos em torno de processos padrões), para um modelo orientado a pessoas, no qual soluções humanizadas para os funcionários possam fazer parte da rotina da área.

Trata-se de pensar em novas maneiras de desenvolver o aprendizado, criar conteúdo, gerenciar mudanças, aprimorar o envolvimento, integrar ou desenvolver tecnologia ou até reinventar todo o papel do RH. A Nestlé, por exemplo, usa o Design Thinking para desenvolver programas de aprendizado experimentais muito intuitivos.

Design Thinking focado na experiência do funcionário

É uma alta prioridade para os profissionais de RH aumentar o envolvimento e engajamento dos colaboradores. O Design Thinking oferece ferramentas para criar locais de trabalho inspiradores, novas funções, sistemas de TI fáceis de usar e outras formas de cooperação em que o colaborador está no centro. O objetivo é melhorar o engajamento, a criatividade e a produtividade, logo, a empatia é um requisito básico para isso.

As perguntas abordadas são, por exemplo: como os colegas mais velhos e mais jovens aprendem uns com os outros, como podemos acelerar o recrutamento, como podemos reduzir a rotatividade de pessoal nos primeiros seis meses, como podemos reter talentos, como criar um sistema de salário justo etc.

Design Thinking para ajudar o RH a alimentar a inovação em toda a empresa

Muitas organizações lutam com a inovação. Essas são exatamente as empresas que podem se beneficiar mais ao estimular uma cultura do Design Thinking em todos os departamentos.

Empresas de sucesso como Citrix e Proctor & Gamble desenvolvem competências de inovação de seus funcionários há anos, usando o Design Thinking como base. Essa proposta pode ajudar o RH a cumprir uma missão importante: ajudar a construir a organização inovadora para o futuro, integrando uma nova mentalidade, novas atitudes, kits de ferramentas e recursos em todos os projetos e iniciativas que ocorrem dentro da organização.

O RH moderno se une ao Design Thinking para reinventar o trabalho e as organizações.  Isso pode ser feito através do engajamento mais ativo dos colaboradores nas mudanças organizacionais e criação de um ambiente e experiências que inspiram as pessoas e as tornam mais criativas e produtivas.