Como líder, você deseja fazer o que é certo para seus funcionários e apoiá-los durante períodos de trabalho intensos, para que não se esgotem, isso pode ser um desafio quando você se sente excessivamente estressado. Como você pode cuidar de si mesmo para ter tempo e energia para apoiar sua equipe? Que medidas você precisa tomar para reduzir seu nível de estresse? E que ações você pode tomar para melhorar o bem-estar dos membros da sua equipe?

O que dizem os especialistas?

É difícil encontrar a energia necessária para ajudar os outros quando você está no seu limite. O desgaste – em oposição a um estresse mais comum – pode fazer com que você “se sinta totalmente esgotado”, diz Susan David, fundadora do Instituto de Coaching Harvard / McLean e autora de Emotional Agility. E “pode permear todos os aspectos da sua vida. Você está cansado e mal exercitado; você não está atento à alimentação e nutrição; e você está desconectado dos relacionamentos.”, mas não é só você quem sofre. Sua equipe está percebendo seu estresse e está piorando tudo”, diz Whitney Johnson, autora de “Construa uma equipe A: jogue com seus pontos fortes e os conduza à curva de aprendizado”. Portanto, em benefício da sua saúde e da saúde de seus funcionários, você precisa reunir todos os recursos possíveis para melhorar as coisas. A seguir está como fazer isso.

1 – Faça da sua própria saúde uma prioridade

Antes de poder ajudar os membros da equipe a gerenciar o estresse, você precisa gerenciar o seu próprio. Um bom ponto de partida é cuidar da sua saúde física e mental. Tenha uma alimentação saudável, se exercite regularmente, durma bastante à noite, tente meditar e encontre alguém para desabafar. Cuidar de si mesmo não é um luxo indulgente, é uma questão de autopreservação. Johnson sugere compartilhar suas técnicas e rituais de gerenciamento de tensão com sua equipe. “Diga, aqui está algo que estou fazendo para gerenciar o estresse. É assim que eu lido”.

2 – Enfrente o problema como um grupo

Mesmo se você não controlou totalmente o seu estresse, é útil demonstrar que você leva o problema a sério. Você pode até sugerir que todos se cuidem em equipe – aprendendo meditação em grupo ou compartilhando dicas sobre quais práticas estão trabalhando para reduzir o estresse. Você pode fazer parte do objetivo de a equipe manter o estresse sob controle, diz David. Diga à sua equipe: “mesmo no contexto dessa mudança, como é que vamos nos unir?'” Isso é útil para o grupo, mas também manterá você responsável por cuidar de si mesmo. Não force ninguém a participar dessas atividades. Um senso de autonomia pode neutralizar os sintomas do esgotamento, para que você queira que as pessoas sintam que estão fazendo suas próprias escolhas.

3 – Demonstrar compaixão

Não seja tão duro consigo mesmo ou com sua equipe. “O esgotamento pode parecer uma falha pessoal”, diz David, mas é claro que isso não é verdade: somos todos suscetíveis a isso – e, de fato, nosso ambiente precipita isso. Estamos vivendo em um mundo imperfeito e, no entanto, esperamos a perfeição. Muitas organizações geram estresse. A ambiguidade, a complexidade, para não mencionar a natureza sempre vinculada à tecnologia, leva muitos de nós a sentir um nível extremo de tensão. Tenha compaixão. Reconheça, interna e publicamente, que todos nós estamos fazendo o melhor possível com os recursos que recebemos. Isso não significa que você é “preguiçoso ou se livra do gancho. Assim, você estará criando um lugar psicologicamente seguro para si e para os outros. Johnson recomenda conversar com sua equipe durante períodos estressantes de uma maneira honesta, mas otimista. Sim, a carga de trabalho é intensa e sim, projetos grandes e de alto risco são assustadores. Diga à sua equipe: “Estamos nisso juntos e sei que podemos cumprir.”

4 – Dê um bom exemplo

“Você também precisa pensar nos comportamentos que está modelando para sua equipe”, diz David. Se você está passando de uma reunião para outra e não tem tempo suficiente para respirar, que mensagem ela envia? Dê um bom exemplo, priorizando o tempo de inatividade. Mostre à sua equipe que você nem sempre opera no modo de aceleração máxima no escritório. “Traga a humanidade de volta para a sala”.

Quando seu pessoal está completamente sobrecarregado, você precisa incentivá-lo a fazer intervalos regulares. Eles precisam de tempo para descansar, rejuvenescer e desconectar do trabalho. Também é importante definir limites de quanto trabalho envolve as noites e os fins de semana. “Faça o que fizer, não envie um e-mail para ninguém da sua equipe à meia-noite”, diz Johnson. Você está pensando: “eu preciso esclarecer isso”, mas você também está jogando uma granada na paz de espírito de seus funcionários. Nesses cenários, agende seus e-mails ou coloque lembretes para respondê-los no dia útil seguinte.

5 – Concentre-se no porquê

Um sintoma comum (e causa) do esgotamento relacionado ao trabalho é uma desconexão entre os valores de uma pessoa e o trabalho em questão, diz David. Você se sente estressado e cansado e ainda continua trabalhando, trabalhando e trabalhando, esquecendo o que o levou a sua carreira e organização em primeiro lugar. Como líder, você precisa desenvolver um senso compartilhado do porquê – como, por que somos levados a cumprir a missão? Como chefe, é seu trabalho galvanizar sua equipe. Lembre-os do objetivo e por que é importante para a organização e seus clientes. Quando as pessoas compartilham valores e conexões, é mais provável que se sintam positivamente com seu trabalho.

6 – Defenda sua equipe

Se você e sua equipe estão sofrendo com uma carga de trabalho pesada, talvez seja hora de pedir uma folga ao seu chefe. “É sua responsabilidade defender sua equipe dentro do contexto dos objetivos da sua organização”, diz Johnson. Ela recomenda conversar com seu chefe sobre o efeito que o estresse está causando no moral e no desempenho. Diga: “Minha equipe está totalmente comprometida com este projeto, mas as pessoas estão cansadas e todos conhecemos a lei dos retornos decrescentes”. Explique que você está preocupado com a possibilidade de perder pessoas valiosas para a organização. Pergunte: “Esse prazo pode ser adiado? ou essa tarefa pode ser reduzida?”. Pense também no que você pode colocar em prática em sua equipe que possa ajudar, diz David. Talvez certas reuniões possam ser descartadas ou, pelo menos, abreviadas. É importante que os líderes batalhem com seus funcionários.

7 – Seja uma fonte de otimismo

“Sempre que o trabalho é frenético, faça um esforço conjunto para promover a positividade”, diz Johnson, por mais difícil que possa ser quando você está estressado. Seja gentil e certifique-se de reconhecer e agradecer regularmente às pessoas por seus esforços. Diga: “Eu notei que você fez o X. Obrigado! Eu aprecio isso”. Cultive um sentimento de comunidade e apoio social. Quando sua equipe atingir um marco ou quando um determinado período de crise terminar, comemore. Reconheça as realizações suas e da equipe.

Princípios a serem lembrados

Faça

  • Incentive sua equipe a fazer intervalos regulares e aproveitar as oportunidades para rejuvenescer.
  • Apoie sua equipe com linguagem inspiradora. Sua mensagem deve ser: “Estamos nisso juntos”.
  • Defenda o seu time. Se a carga de trabalho for muito pesada, pergunte ao seu chefe se os prazos podem ser movidos ou as tarefas reatribuídas.

Não faça

  • Negligencie sua saúde e bem-estar. Cuide-se bem e compartilhe suas estratégias favoritas de redução de estresse com sua equipe.
  • Considere burnout uma falha pessoal. Reconheça, interna e publicamente, que as pessoas estão fazendo o melhor que podem com os recursos que possuem.
  • Fique atolado na negatividade. Seja uma fonte de otimismo e tente cultivar positividade nas fileiras.