Nunca antes nas empresas o apelo ao aprendizado esteve tão evidente, isso é consequência dos avanços tecnológicos e das mudanças no mercado que tornaram mais frequente a busca pela atualização. O aumento da demanda por profissionais do conhecimento trouxe a importância de se colocar em prática a educação corporativa, dessa forma, a visão sobre a necessidade do aprendizado se expandiu para além do ensino formal.

Geralmente, as pessoas vêm de um sistema educacional e de uma experiência prévia que deram a elas determinado nível de capacidade e competência. Por este motivo, as empresas devem averiguar qual é o nível de desenvolvimento dos funcionários e buscar alinhar as habilidades pessoais deles com os interesses da organização, para então desenvolverem competências profissionais específicas em seu quadro de colaboradores.

Treinamento x Educação Corporativa

O treinamento faz parte da educação corporativa, mas suas ações são mais contidas e pontuais, percebe-se que muitas empresas dão ênfase em treinamentos sem ter um verdadeiro planejamento de educação e depois não sabem por que os colaboradores não se engajam nas estratégias do negócio.

Diferenças entre o treinamento e a educação corporativa:

Treinamento

  • Trabalha as competências individuais;
  • Dá ênfase às necessidades pontuais e individuais dos colaboradores;
  • Foca em melhorar as habilidades profissionais;
  • Tem visão de curto prazo;
  • Ocorre de forma passiva — o aluno recebe o conhecimento pronto para a assimilação.

Educação Corporativa

  • Trabalha as competências críticas do negócio;
  • Dá ênfase às necessidades e estratégias contínuas da organização;
  • Foca no aumento da competitividade;
  • Tem visão de longo prazo;
  • Ocorre de forma ativa – o aluno é protagonista do seu desenvolvimento.

Treinamento não é a mesma coisa que educação corporativa, ele deve fazer parte do planejamento e implementação da educação na empresa, e não ser um fim em si mesmo. Quando se fala nisso, a proposta é mais abrangente e exige um comprometimento maior dos colaboradores com a organização, portanto, as empresas devem se importar não só em treinar, mas também em educar.

Por que apostar na educação corporativa?

A educação corporativa é uma prática de gestão de pessoas integrada à gestão do conhecimento. Aderir a ela contribui para os processos internos e o crescimento dos negócios, pois de nada adianta investir em tecnologias sem qualificar os colaboradores para lidarem com elas de maneira eficaz.

As pessoas se preocupam com o futuro, e a educação tem papel principal nesse contexto. Incentivar a aprendizagem contínua é desenvolver atitudes, hábitos, formas de pensamento, competências e uma visão de negócio que leva o colaborador a ter ideias para aperfeiçoar o seu próprio trabalho.

É importante considerar que a educação corporativa propõe um modelo diferente daquele em que as pessoas são ensinadas a como realizar tarefas, porque ela traz uma visão mais ampla e de longo prazo, onde os colaboradores fazem parte do processo e não são tratados como meros executores.

O desenvolvimento das capacidades dos colaboradores é essencial para estabelecer uma cultura de aprendizagem e inovação na empresa, assim como incentivar o aumento da competitividade dos bens e serviços oferecidos.

Benefícios da educação corporativa

A educação corporativa é uma maneira de favorecer os colaboradores, mas também beneficiar a empresa. Implementar ações a favor disso poderá trazer muitas vantagens e benefícios.

Vantagem competitiva

Em determinados mercados os produtos e serviços quase não se diferenciam de uma empresa para a outra, por isso é necessário oferecer de alguma maneira algo diferenciado aos clientes. Uma delas, é ofertando um atendimento de qualidade, mas para isso acontecer é preciso investir no preparo e qualificação dos colaboradores.

Por meio da educação dos funcionários esse objetivo pode ser alcançado, basta traçar um plano estratégico e buscar as melhores ferramentas de ensino.

Aumento da produtividade

A aprendizagem contínua proporciona atualização constante de habilidades e torna os profissionais mais seguros do que fazem, por consequência, as falhas dos processos caem, a qualidade dos bens e serviços aumenta, os prazos são cumpridos e a empresa ganha em produtividade.

A capacidade técnica é em grande parte responsável pela produtividade, pois reduz o tempo que as pessoas gastam para executar um serviço.

Motivação e engajamento

Os colaboradores que participam dos programas de educação corporativa absorvem melhor a cultura da empresa, os valores, objetivos e se engajam nos processos. O desenvolvimento de uma cultura de aprendizagem alinha o discurso de líderes e liderados contribuindo para um melhor encadeamento de ideias e propósitos, resultando em motivação e engajamento.

A própria preocupação da empresa em educar seus funcionários faz com que eles se sintam mais valorizados e motivados.

Atração e retenção de talentos

Entre as empresas que adotam e as que não adotam a educação corporativa, as mais procuradas pelos profissionais no mercado de trabalho são aquelas que oferecem a opção de educação contínua. As pessoas não estão somente em busca de um emprego, atualmente, elas buscam o desenvolvimento de suas habilidades profissionais e pessoais.

A educação corporativa impacta de maneira positiva os índices de absenteísmo e rotatividade, com ela os funcionários se sentem mais engajados e motivados.

É importante entender que não se pode mais fazer treinamentos como antigamente e que já não basta apenas treinar, é necessário educar os colaboradores. Focar em educação corporativa gera inovação para a empresa e faz com que ela conquiste melhores posições de mercado.