“O essencial, é invisível aos olhos, só se pode ver com o coração” – O Pequeno Príncipe.

Muitas vezes, o que precisamos, é olhar a vida de outra maneira. E eu aprendo isso todos os dias. As dificuldades, os desafios sempre existirão: vão e vêm. Você pode dormir e acordar: eles estarão ali. Você pode fazer uma viagem, mas quando você voltar, eles estarão ali. Você pode até mudar de emprego, mas se você não encarar os seus desafios, eles sempre estarão ali.

Eu tenho desafios assim como você, mas o que muda é a maneira como olhamos para cada um desses obstáculos.

Mudar o nosso comportamento, a nossa maneira de enxergar os desafios, é uma questão de treino. E eu vou te explicar porque.

Eu tinha 15 anos. Vivia a grande fase de mudanças que é a adolescência. Mas uma situação especial me levou a uma mudança ainda maior.

Era um sábado, 13 de junho, dia de festa junina na escola. Tivemos a ideia de fazer uma bomba caseira. Eu e mais 4 amigos.

Sem nenhum problema, compramos foguetes e fomos até a casa do Tiago. Desmontamos alguns e colocamos a pólvora, dentro de um tubo de PVC.  Não achamos nada para colocar de pavio e resolvemos ir embora. O Tiago nos chamou de volta e só eu voltei.  Resolvemos fazer um furo na lateral do tubo, mesmo sem ter o pavio. Pegamos um espeto de churrasco, e o deixamos bem quente. Quando a ponta do espeto estava incandescente, o Tiago segurou e eu espetei o cano…

Bum… A bomba explodiu em nossas mãos. Não houve tempo pra nada. Tudo ficou preto e eu não enxergava mais.

Amigos e alguns vizinhos vieram correndo quando ouviram a explosão e nos encontraram gravemente feridos.

Fomos levados para o hospital e passamos por longas horas de cirurgia.

Quando acordei, queria saber como o Tiago estava… Eu estava preocupado com ele… Perguntei pra enfermeira, pro médico, pra minha mãe e ela me disse que o Tiago ficou mal e infelizmente não resistiu aos ferimentos e morreu…

Eu passei por vários exames. Perdi totalmente a visão do olho direito. Do olho esquerdo havia esperanças que eu recuperasse um pouco da visão.

E o que era pra ser só uma brincadeira acabou virando uma tragédia.

Embora ainda me restasse um pouco da visão, no final de 2015, ainda devido às lesões, fiquei totalmente cego. Hoje já não enxergo mais, não sei se é noite ou dia, se está claro ou escuro…

Diante dessa história te convido a refletir sobre três pontos:

  • Todo mundo já passou por alguma mudança na sua vida;
  • Todos têm que superar situações difíceis;
  • Todos têm que tomar algum tipo de atitude para enfrentar esses momentos, por mais dolorosos que sejam.

O que muda nisso tudo? A maneira como olhamos para esses desafios.

O próprio fato de nos acomodarmos e se lamentarmos diante de um desafio são tipos de atitudes. E esse tipo de escolhas também gera algum tipo de consequência.

Muitas vezes as mudanças simplesmente acontecem! Desta forma, podemos afirmar que aprender a mudar é importante.

Cada indivíduo tem uma história. Essa história é construída a partir de tudo o que ele vive: seja das “heranças culturais”, que é todo o repertório de aprendizado que ele recebe de sua família e que vão se acumulando, seja das suas histórias construídas a partir das experiências individuais.

O que muda é a atitude escolhida a partir dos desafios que são colocados pela vida.

Mudança requer atitude. Significa alterar o modo como pensamos para que possamos viver em harmonia com toda a nossa história, com aquilo que a realidade da vida nos oferece.

No caminho, posso afirmar, vamos nos deparar com o medo do fracasso ou pior, o julgamento dos outros. E aí nos resta sentirmos vítimas, e nos lamentarmos, ou olhar para a vida com olhos de mudança.

Os desafios serão superados se você tiver atitude. E essa atitude envolve três pontos chaves. São eles: pensar antes de agir, ninguém sabe de tudo e ter em mente que paciência e persistência são essenciais. Desenvolver esses pontos o tornará mais propenso a enfrentar e superar os desafios que venham a aparecer no seu caminho. O bom humor pode se tornar um facilitador do processo.

Esse é um aprendizado para a vida. Se você deseja a mudança, ela passa a fazer parte de você, basta você querer.

Tenha você um novo olhar para a vida.

 

Gabriel Metzler
Em 2015, Gabriel perdeu totalmente a visão e, mesmo cego continua sua caminhada de inspirar e ajudar pessoas. Exemplo de superação, ele é um engenheiro civil que a vida lapidou para ser Master Coach, Palestrante e Treinador Comportamental e de Liderança.