O desenvolvimento do profissional é algo que deve estar em constante evolução e para isto, existem diferentes técnicas e processos que auxiliam as organizações a trabalharem este ponto. Mesmo com o avanço das tecnologias e pesquisas, existe uma capacidade do ser humano que nunca é considerada como ultrapassada: a de realizar algo através da observação.

E qual a melhor forma de aprender os processos do que acompanhar a realização deles por alguém que tenha um maior domínio sobre eles? Esta é basicamente a proposta do projeto de mentoria, ou mentoring, como é mais conhecido.

O objetivo do projeto de mentoria é fazer com que os novos colaboradores tenham mentores responsáveis pelo auxílio em seu desenvolvimento. O mentor deve ser alguém que possua uma maior experiência profissional no trabalho em que o mentorado será acompanhado e a pessoa responsável pela orientação do mentorado nos processos estabelecidos pelo RH ou pela empresa.

 

As fases do mentoring

Ao buscarmos pela construção deste processo de forma histórica, percebemos que, existem diferentes modelos propostos por diferentes autores, um deles, o de Kram (1983) define que o mentoring ocorra através da passagem por quatro fases com características distintas entre si, sendo elas:

 

1ª Fase: Iniciação

Esta fase é caracterizada pela constituição da relação entre o mentor e mentorado. É nesta fase que são definidas quais as necessidades de desenvolvimento do mentorado e suas expectativas sobre o processo de aprendizado e como este será estruturado pelo mentor.

 

2ª Fase: Cultivo

No cultivo da relação é feita a análise da variedade de habilidades e assuntos que serão abordados durante todo o projeto de mentoria, que podem ou não ser restritas somente aos assuntos profissionais.

Algumas pessoas optam por ampliar a origem dos assuntos para questões familiares, sociais e afetivas, por exemplo, pois a percepção sobre as opiniões e competências do mentorado tendem a aumentar, e isto contribui com a forma que o mentor irá conduzir o processo.

 

3ª Fase: Separação

Nesta terceira fase tem início o processo de independência do mentorado em relação ao mentor. Aqui, o mentorado já absorveu uma quantidade de informações e conhecimentos necessários para que possa conduzir o trabalho de forma independente do mentor, mas com os meios que lhe foram dados por ele.

Ainda nesta fase, a origem da relação entre mentor e mentorado podem ser alteradas por diferentes questões, como mudanças internas ocorridas nos participantes ou mudanças do próprio contexto organizacional.

 

4º Fase: Redefinição

Aqui, o mentorado já possui independência e autonomia para se desenvolver por si só, bem como realizar os processos que foram aprendidos com o mentor, sem a necessidade de auxílio do próprio. Digamos que é a fase de colocar em prática tudo o que foi aprendido.

A relação evoluí para um nível de igualdade entre ambos e tende a fortalecer os laços de amizade e, começam a existir contribuições para o desenvolvimento de ambos, onde tanto mentor quanto mentorado oferecem habilidades uns aos outros.

Assim que atingida essa última fase, considera-se o objetivo da mentoria alcançado, no qual o mentorado é tratado de igual para igual ao mentor, com a mesmas habilidades, conhecimentos e potenciais.

 

 

As vantagens do processo de mentoring

 

Desenvolvimento de líderes

Ao atribuir o papel de mentor para algum colaborador é dada a possibilidade de ele atuar como líder de alguém. Assim, esta pessoa se torna exemplo a ser seguido pelo mentorado e permite que ela exiba suas habilidades como líder.

 

Agilidade no desenvolvimento de novos colaboradores

A probabilidade de uma aprendizagem mais rápida trabalhando com mentores aumenta. Isto porque os novos colaboradores, além de possuírem o treinamento necessário para realizar determinada função, contam com o acompanhamento de alguém que aplica este conhecimento no dia a dia e permite que o mentorado faça parte desta vivência.

 

Redução de custos

É preferível treinar os novos colaboradores em locais nos quais a empresa necessita dispor de tempo e dinheiro ou de forma com que eles possam aprender dentro da própria empresa/setor, com pessoas que já conhecem toda a rotina e cultura da instituição, sem ser necessário um custo para isto?

 

Busca pelo autodesenvolvimento

Engana-se quem acredita que este processo seja benéfico somente pelo mentorado, o mentor ganha muito com ele.

A necessidade de saber orientar alguém e como fazer isto da maneira correta, se tornando um exemplo, faz com que o mentor busque se aprofundar em pontos que ainda possam existir dúvidas ou que não possua 100% do conhecimento. Além do fato de ser necessário construir um papel de liderança que ainda pode não ter sido mostrado dentro da organização por falta de oportunidades.