Chegou a vez de conferir o terceiro artigo da série “Feedback”. E na edição de hoje você entenderá melhor quais são os erros mais comuns de um feedback os impactos de não realiza-lo com sua equipe.

 

Nos dois primeiros artigos desta série foi explicado o que é um feedback , sua importância, quais as dificuldades em dar e receber um feedback, como criar um roteiro para feedback e várias dicas, então não repetirei aqui estas informações. Se você ainda não leu estes artigos, acesse aqui o link para “A melhor forma de dar feedback” e “Roteiro e dicas para um excelente feedback”.

Neste artigo eu comentarei alguns dos erros comuns no feedback, impactos da sua ausência e algumas evidências para você observar no momento em que está fazendo esta ação.

Lembre-se, feedback não é uma opinião que expresse um sentimento ou emoção, nem queixa, bronca, conselho ou mesmo lição de moral e nunca comece o diálogo já tendo em mente que tem certeza que sabe a conclusão.

 

Erros comuns no feedback

O pior erro é não dar feedback, mas também é comum só se dar feedback negativo ou só dar o positivo quando precisa dar feedback corretivo, além de acabar sendo emotivo ou pessoal. Não se esqueça de deixar um espaço para ocorrerem as melhorias propostas e desta forma avaliar o resultado do feedback.

 

Efeito Halo

Tendência a considerar todos os aspectos da avaliação baseado numa ideia inicial sobre o avaliado. Essa ideia pode ser positiva ou negativa.

 

Efeito sequencial

Tendência a avaliar um item de maneira similar ao item anterior.

 

Efeito similaridade

Tendência a avaliar positivamente aspectos ou temas que você gosta ou domina. As vezes pode ir ao outro extremo, avaliando muito negativamente os itens de domínio.

 

Efeito última semana

Tendência a considerar na avaliação somente os acontecimentos recentes relacionados ao avaliado.

 

 

Impactos da ausência de feedback

Os efeitos da ausência de feedback podem ser observados nestes pontos:

  • Impacta na produtividade.
  • Causa desmotivação.
  • Compromete a lealdade do funcionário em relação a liderança.
  • Aumenta o risco de perda de talentos.
  • Gera comportamentos inadequados.

É possível perceber que falta feedback quando o desempenho é baixo, há dificuldade de relacionamento e pouca iniciativa.

 

Reações comuns ao feedback

 f1 Negação

“Não, isto não é verdade“

“Eu não fiz isso!”

 f2 Indiferença

“Isto não me afeta nem um pouco…“

“Entrou por um ouvido e saiu pelo outro”

 f3 Raiva

“Como podem pensar isto de mim?“

“Quem é ele para me julgar?”

f4 Aceitação e reflexão

“É, realmente já me disseram isso”

 

Evidências do progresso do feedback

Aqui estão algumas evidências para você saber se está indo no caminho certo durante o feedback.

Positivas

  • A pessoa está ouvindo cuidadosamente.
  • A pessoa agradece.
  • A pessoa concorda e até contribui com o feedback.

Negativas

  • A pessoa se justifica ou fica argumentando.
  • A pessoa nega ou ignora o feedback.
  • A pessoa esquece rapidamente o que foi falado.

 

Conclusão

Ao melhorar as habilidades de feedback, estabelecemos um processo de compreensão, respeito e confiança em uma relação. A liderança deve gerar no liderado o desejo por feedback e não a aversão.

 

CONTINUAÇÃO…

Este é o terceiro artigo da série. No próximo artigo que será lançado em 18/08/2016 estarei comentando sobre como receber um feedback. Fique de olho, acompanhe o blog e assine nossa newsletter!

 

Como um sistema de RH pode ajuda-lo com este processo?

Um sistema de RH especializado em gestão de pessoas ajudará você a criar o hábito de dar feedbacks, pois ele o alertará de longos períodos sem feedback, também ajudará você a manter um controle centralizado destas ações e permitirá que estas informações sejam compartilhadas com seus superiores e sucessores. Além de tudo isto, quem está recebendo o feedback também terá a informação de fácil acesso, permitindo a ele também registrar sua opinião.

Um software especializado ajuda a incorporar a ação de feedback na cultura da empresa e dá a área de recursos humanos o controle deste processo.

De forma alguma um sistema de RH deve substituir a ação pessoal de dar feedback, mas ele auxiliará muito, até mesmo dando orientações a quem dá e a quem recebe o feedback.

 

E-book

Este artigo tem apenas o objetivo de introduzir este assunto, pois já há um e-book gratuito, do mesmo autor, com mais definições e exemplos.

Este e-book tem a finalidade de te orientar da melhor forma possível a como dar excelentes feedbacks. Serão apresentadas as técnicas mais adequadas de uma maneira prática e direta e ele o ajudará a criar um roteiro para um bom feedback.

  • Gui Araujo

    Excelente artigo!! Dar feedback precisa ser um hábito constante e é muito importante ficar atento sobre o progresso ou não desse feedback. Do contrário vira algo mecânico e perde o verdadeiro propósito.