Por mais que a economia brasileira ainda esteja se recuperando da crise, o mercado de trabalho em 2017 não ficará completamente estagnado. Mesmo com a abertura de poucas vagas, os principais desafios da gestão de pessoas, como atração e retenção de talentos, continuarão em debate na sala do RH e quem estiver preparado para esse cenário colherá bons resultados.

Mas, afinal, o que de fato os principais executivos de RH esperam para o próximo ano? Diversas pesquisas e estudos foram realizados para responder essa pergunta. Baseados nesses materiais, apontamos cinco desafios para a gestão de pessoas, que devem pautar os trabalhos da área. Confira e prepare-se:

5 desafios da gestão de pessoas em 2017

1-Recrutamento assertivo: A maior parte dos executivos de RH do Brasil pretende manter o ritmo de contratações em 2017, seja para preencher possíveis vagas ou realizar substituições.  Contudo, os recrutadores planejam ser mais rigorosos nos processos seletivos, já que as contratações erradas acarretam inúmeras perdas às empresas, especialmente em produtividade.

Nesse cenário, o desafio da gestão de pessoas será conduzir os trabalhos de recrutamento com mais agilidade e dinamismo, pois o tempo de duração do processo seletivo está maior em metade das companhias. É bom lembrar que seleções longas, exaustivas e com pouco feedback costumam desmotivar os candidatos, e o investimento do RH nesse trabalho pode sair caro.

2-Retenção de talentos: Apesar da crise, os melhores talentos continuam encontrando espaço no mercado de trabalho. Por isso, a retenção dos melhores profissionais segue na lista de desafios da gestão de pessoas.

De acordo com o Guia Salarial 2017, da Robert Half, as principais estratégias para reter talentos em 2017 serão:

  • Promoções internas (segundo 56% dos executivos)
  • Trabalho flexível (54%)
  • Salários competitivos (49%)
  • Treinamento e Desenvolvimento (41%)
  • Contraproposta (21%)

Esses projetos, por si só, também se mostram desafiadores para os RHs.

3-Remuneração variável: Mesmo que os cortes tenham congelado os salários, a área de remuneração terá muito que fazer em 2017, afinal, um bom pacote, com dinheiro e benefícios, ainda conta na hora de reter, promover e valorizar talentos.

Diante disso, 43% dos diretores de RH dizem que a remuneração variável será maior em 2017. Também será necessário realizar projetos de estruturação de cargos e salários.

4-Gestão geracional: Embora pareça um problema futuro, o conflito de gerações já se faz presente nas empresas brasileiras, a ponto de ser considerado um dos principais desafios da gestão de pessoas em 2017.

Estudos da consultoria Lee Hecht Harrison apontam que muitos profissionais da geração baby boomer são gerenciados por mais jovens (gerações X e Y). Porém, o desafio da gestão de pessoas nesse cenário não é apenas promover uma convivência pacífica, e sim garantir que as expectativas de cada geração estejam alinhadas com o que a companhia oferece e/ou exige.

Vale ressaltar que a chegada da geração Z e a retenção dos veteranos farão com que cinco gerações convivam nas empresas até 2020, segundo previsões.

5-Engajamento: Em tempos difíceis, como os atuais, ou até em momentos favoráveis, engajar funcionários é sempre um desafio da gestão de pessoas. Entretanto, a atual crise fez com que esse trabalho tomasse proporções ainda maiores, pois a máxima do “fazer mais com menos” ainda impera em diversas organizações.

Além disso, os períodos de crise trazem consigo diversas incertezas, especialmente em relação ao trabalho, diminuindo a motivação, o engajamento e a produtividade dos colaboradores.

O Índice do Medo do Desemprego, calculado pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI), atingiu a marca dos 61,2 pontos em setembro, permanecendo 13 pontos acima da média histórica (48,2 pontos). Quanto mais próximo o índice estiver dos 100 pontos, maior é o medo do brasileiro de perder o emprego.

Para vencer esse quadro de incertezas, o RH deve investir em um forte trabalho de comunicação e munir a liderança com estratégias de engajamento. Só assim será possível vencer esse grande desafio da gestão de pessoas em 2017.