O trabalhador nos dias de hoje está em busca de empresas que oferecem não só remuneração e benefícios atraentes, mas daquelas que estão alinhadas a seus valores pessoais e se preocupam com o desenvolvimento de seu plano de carreira. Como aponta a moderna gestão de pessoas, as pessoas são o principal ativo das organizações e atuam como parcerias ativas do negócio, já que dedicam seu tempo, se comprometem, se responsabilizam e assumem riscos, orientando seus esforços para conduzir a organização em direção a excelência e ao sucesso.

Ao atuar como parceiras, as pessoas esperam que seus investimentos sejam retribuídos pela organização, não só na forma de salário, mas também de crescimento profissional, de satisfação e de possibilidades para avançar em sua carreira. Quando o individuo identifica que há um equilíbrio entre seu empenho e as recompensas que a organização lhe fornece em contrapartida, a tendência é que os colaboradores se sintam mais motivados e mantenham ou aumentem seus investimentos. Dessa forma, mostrar aos colaboradores que a empresa está aberta as suas aspirações e que dará o suporte para que ele possa construir e avançar na sua carreira passou a ser fundamental para reter talentos.

Na atualidade, para que as pessoas sejam produtivas no trabalho é necessário que se sintam satisfeitas e felizes em atuar em determinado setor ou organização. Para isso, as pessoas buscam atividades em que possam utilizar suas competências e sintam que suas opiniões são ouvidas e que sua colaboração é útil para as tomadas de decisão e o alcance dos objetivos e metas da organização. Além disso, mais do que um emprego, as pessoas estão em busca de perspectivas de carreira dentro de empresas que atuam de forma ética e que tem claro critérios de promoção baseados em desempenho.

A área de Recursos Humanos tem papel fundamental nesse processo, já que pode assessorar a empresa a desenvolver boas políticas de crescimento e desenvolvimento para seus colaboradores, favorecendo a motivação e o engajamento dos funcionários. Processo que começa pelo desenho, análise, descrição e especificação de cargos, já que este é a base para a atuação das pessoas na organização e constitui-se como uma das maiores fontes de expectativas e motivação no trabalho.

O planejamento de carreira dentro da organização parte da definição dos cargos e da identificação de futuras necessidades de promoção, mas atualmente o encarreiramento tem sem tornado cada vez mais horizontalizado e a carreira construída a partir de competências. Além disso, os profissionais são demandados a assumir cada vez mais a gestão da própria carreira.

Nesse contexto, podemos apontar algumas ações que a área de Recursos Humanos pode promover para apoiar a empresa e mostrar ao empregado que a organização está empenhada e se preocupa com o seu crescimento profissional e o desenvolvimento de sua carreira.

  1. Sensibilizar e capacitar os lideres para que eles possam estar próximos de sua equipe, de forma que conheça o potencial e as aspirações de carreira de cada membro de seu time, atuando como verdadeiros mentores;
  2. Elaborar programas de treinamento alinhados com a política da empresa e seu plano de carreiras, promovendo a capacitação constante dos funcionários e preparando-os para assumir cargos cada vez mais complexos;
  3. Promover o job rotation, promovendo uma ampliação do aprendizado do colaborador, a aquisição de novas habilidades e a melhor compreensão do negócio;
  4. Incentivar a troca de experiências entre as diferentes gerações dentro da organização, promovendo discussões e espaços para que os funcionários mais experientes e os menos experientes possam interagir e aprender uns com os outros;
  5. Desenvolver programas de qualidade de vida no trabalho e incentivar o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Promovendo ações que tenham como foco o bem-estar dos trabalhadores, a melhor gestão do tempo, a maximização da eficiência e o estímulo para que os colaboradores se dediquem a interesses fora do trabalho;
  6. Valorizar o papel de cada um na organização, reconhecendo e recompensando àqueles com melhor desempenho, proporcionando possibilidades para que os empregados assumam novas responsabilidades e avancem na carreira;
  7. Elaborar junto à organização e aos gestores um planejamento sucessório, que facilite a percepção dos colabores em relação às habilidades e os conhecimentos que precisam adquirir para avançar na carreira e assumir cargos de liderança.