É cada vez maior o número de empresas que optam pelo ensino a distância para a capacitação de seus colaboradores. Ele apresenta diversas vantagens: baixo custo de roll out, possibilidade de alcançar um número maior de colaboradores e, o mais importante, com diferentes recursos didáticos para estimular a aprendizagem. Resumindo: soluções educacionais com alto nível de qualidade, que utilizam menos investimentos e viabilizam a capacitação de colaboradores em qualquer lugar do mundo.

O e-learning é o que existe de mais moderno em termos de ensino a distância. Nesta modalidade, que utiliza meios eletrônicos como ferramentas para proporcionar aprendizagem, soluções como games, cursos online, fóruns, chats, vídeos e infográficos possibilitam interatividade com o conteúdo e com outros participantes, vivências simuladas, trocas de experiências, construção coletiva do conhecimento e muito mais!

Tantas possibilidades de metodologias, recursos e ferramentas vão para o ambiente corporativo com um único propósito: tornar a aprendizagem mais efetiva e contribuir com os resultados. Porém, a grande dificuldade da maioria das empresas é saber como identificar se isso realmente está acontecendo.

Neste artigo trazemos alguns indicadores para avaliação de resultados de e-learning. Eles estão agrupados conforme a escala de avaliação para programas de treinamento de Donald Kirkpatrick, que revisaremos de forma breve por aqui. Veja a seguir.

Indicadores para Avaliação de Reação

A avaliação de reação visa identificar a percepção dos participantes em relação à experiência de aprendizagem. É possível, por exemplo, vincular a finalização de um curso ao preenchimento de um breve formulário de reação.

Alguns itens que podem constar no formulário: relevância do conteúdo para o dia-a-dia de trabalho, relevância do conteúdo para o desenvolvimento pessoal/profissional, facilidade de navegação, qualidade dos recursos de apoio, qualidade visual, tempo de duração do curso, interação com o tutor e interação com outros alunos. A seleção dos indicadores que serão apresentados no formulário de reação depende do curso que será avaliado: se tem tutor ou não, se tem chat ou fórum, etc.

Outros indicadores que podem contribuir para a análise da receptividade dos participantes em relação ao curso: tempo para conseguir acessar o curso, tempo de navegação, frequência de acesso e número de contribuições no chat ou fórum.

Indicadores para Avaliação de Aprendizagem

Este nível de avaliação visa identificar se os objetivos de aprendizagem foram alcançados. Os objetivos podem se relacionar a aquisição de novos conhecimentos, habilidades ou a mudanças na forma como participantes percebem a realidade.

Em um e-learning é possível trabalhar com os seguintes indicadores: nota de autoavaliação do participante, nota de avaliação de conhecimento, qualidade da interação entre participantes e tutores, qualidade das informações postadas em chats e fóruns, notas por tarefas realizadas, entre outros.

Indicadores para Avaliação de Comportamento

A avaliação de comportamento identifica se houve transferência de aprendizagem, ou seja, se os participantes passaram a colocar em prática os conhecimentos e habilidades recém-adquiridos.

Indicadores que podem ser utilizados para avaliação do comportamento: nota de avaliação presencial das atividades do aluno pós-curso, nota de autoavaliação do aluno algum tempo após o curso e nota em avaliação de desempenho individual.

Indicadores para Avaliação de Resultados

Neste nível de avaliação, analisa-se a contribuição do treinamento para os resultados do negócio.

Estes são alguns dos possíveis indicadores de resultados: percentual de vendas, nota de qualidade, percentual de satisfação dos clientes, taxa de erros em processos, tempo de atendimento, percentual de reclamações, base de clientes, nota da pesquisa de clima, índice de absenteísmo, índice de turn over, etc.

É imprescindível avaliar os resultados das soluções em e-learning. A análise desses indicadores irá retroalimentar a área de Treinamento e Desenvolvimento, possibilitando-a identificar quais soluções são mais ou menos efetivas de acordo com cada público e tipo de conteúdo.