De tempo em tempo o papel do profissional de RH se transforma dentro das organizações, tornando sua atuação cada vez mais voltada para um posicionamento estratégico e de apoio às áreas. A busca por aperfeiçoamento nos processos de seleção de colaboradores é fator quase predominante nas grandes empresas e, por isso, cada vez mais os profissionais tem transformado o antigo processo seletivo em um processo de hunting.

A tradução literal da palavra headhunter é “caçador de cabeças”. No mundo do RH ele se tornou o Caçador de Talentos.

Esse profissional tem como característica principal, identificar profissionais capacitados, sob os aspectos técnicos e comportamentais, que atendam as necessidades de uma organização.

No início, esse profissional era diferenciado, se destacava em meio aos demais profissionais de recrutamento e seleção, tinha uma atuação solo e atendia somente grandes corporações, devido ao seu alto custo. Entretanto, por tratar-se de uma metodologia efetivamente assertiva, começou a ser incorporada pelo RH interno aos processos seletivos como uma forma de reduzir tempo, custo e falhas nas contratações.

Diferente das décadas passadas, em que as áreas eram robustas, compostas por mais de um profissional capacitado para executar sua função, na última década as empresas estão cada vez mais enxutas, exigindo que nos processos de contração se identifiquem, em um prazo curto, profissionais prontos para assumir o cargo.

Para aliar agilidade e assertividade, o profissional responsável por realizar os processos seletivos precisa aperfeiçoar, não só sua técnica, mas seu conhecimento.

Embora a atuação do headhunter seja fundamentalmente voltada para a contratação de executivos e profissionais de gestão, suas técnicas têm sido incorporadas, de forma mais ampla, nos processos de contratação de pessoas.

 

Aspectos positivos de um headhunter:

  • Identifica os talentos;
  • Torna mais ágil o processo seletivo;
  • Possibilita contratações mais assertivas; e,
  • Cria uma rede de relacionamento que possibilita maior eficácia na etapa de seleção.

Veja abaixo quais as principais diferenças entre um recrutador e um headhunter:

Recrutador Headhunter
Divulga a vaga e aguarda que os candidatos enviem currículos.  

É ativo no processo de captação de candidatos, identificando em sua rede de contatos profissionais com perfis compatíveis com o cargo em aberto.

 

Avalia na entrevista o que o gestor solicitou.  

Identifica competências comportamentais e técnicas compatíveis com o cargo.

 

Investiga exaustivamente os GAPs que serão fatores determinantes para eliminar o candidato.  

Busca explorar com o candidato os cases de sucesso nas últimas empresas, a fim de levantar a compatibilidade da experiência profissional com o cargo.

 

Conhece o perfil do cargo apresentado pelo gestor da área contratante.  

Estuda o cargo antes de iniciar o processo, apoia o gestor no levantamento do perfil identificando as principais competências a serem avaliadas.

 

 

O que é preciso para se tornar um Headhunter?

Em primeiro lugar, é fundamental uma mudança de postura com relação ao processo de recrutamento e seleção. Como o nome define, esse profissional busca os profissionais que tenham potencial para assumir o cargo em aberto. Ele identifica esses profissionais através de banco de currículos, cargos similares em empresas concorrentes, indicação de líderes e colaboradores, indicações de outros profissionais de RH, etc.

Construir uma rede de relacionamento profissional, seja através de contatos virtuais, ou participando de grupos de estudo focados na área, com o objetivo de estabelecer um networking capaz de gerar boas indicações, ou até mesmo construir um banco de talentos que será acionado toda vez que surgir uma nova necessidade de contratação. Para isso, poderá utilizar plataformas de perfis profissionais na Internet, parceiros de RH que trabalhem com outplacement, dentre outros.

Estudar profundamente os cargos e as principais competências requeridas na organização onde atua, a fim de promover processos de entrevista direcionados e assertivos.

Não existe um curso específico que forme este profissional. Seu perfil é definido aliando experiência de mercado, conhecimentos sobre as principais técnicas e ferramentas de RH, cursos voltados para a área de gestão de pessoas, habilidade de escuta e, sobretudo, contatos profissionais estratégicos.

 

Por que se tornar um Headhunter?

Elevar o nível profissional é o objetivo principal dessa transição.

Dificilmente, um profissional trabalha sem perspectiva de crescimento e, somente através do aperfeiçoamento, inovação e criatividade, é possível evoluir na carreira. Tornar-se um profissional diferenciado, que se destaque por seus resultados, é a chave que abrirá as principais portas para sua vida profissional.

O mercado de trabalho, de tempos em tempos, fica saturado de profissionais com a mesma formação e com experiências muito similares. Para sair da média é preciso mais, é quase obrigatório fazer a diferença.

Se você trabalhar com as melhores ferramentas, as principais técnicas e construir uma rede de relacionamento forte, fará um investimento de longo prazo em sua carreira.

 

Como um Headhunter pode atuar?

  • Dentro de empresas como um RH estratégico;
  • Como um consultor autônomo que presta suporte a uma ou mais empresas nos processos de contratação; e,

Em consultorias de RH que prestem serviços de hunting e de recrutamento e seleção