O profissional de recrutamento e seleção é o responsável por identificar e atrair candidatos com o perfil e as habilidades necessárias às posições que estão em aberto. É um papel primordial para as empresas. Um candidato mal selecionado pode implicar no comprometimento dos resultados e custos operacionais com rescisão, por exemplo.

Após a análise de currículos, a entrevista possibilita ao recrutador um melhor entendimento sobre as experiências do candidato, suas habilidades e sobre como ele poderá agregar valor às necessidades da empresa. É uma das principais etapas do processo de recrutamento e seleção, sendo normalmente a primeira oportunidade que o candidato tem de formar uma imagem sobre a empresa. É de fundamental importância que esta imagem inicial seja favorável, pois irá contribuir para a formação de um conceito positivo sobre a marca no mercado, aumentando sua confiabilidade.

Veja algumas dicas sobre como conduzir uma entrevista, proporcionando um momento proveitoso tanto para quem está recrutando, quanto para o candidato:

Prepare a entrevista: um ambiente confortável e que evite interrupções é muito importante, pois demonstra respeito com o candidato e faz com que ele se sinta mais à vontade ao responder as perguntas. Estudar seu currículo previamente ajudará a fazer perguntas mais assertivas. Outro ponto importante é programar a entrevista para um horário que seja viável para ambos. O atraso do candidato pode comprometer sua imagem profissional. Deixa-lo aguardando por muito tempo também causa má reputação à empresa.

Faça uma apresentação inicial: uma forma de deixar o candidato mais confortável para falar de suas experiências é o recrutador começar a entrevista fazendo uma breve apresentação sobre si, sobre a empresa e sobre a posição que precisa ser preenchida, deixando espaço para que o candidato exponha possíveis dúvidas.

Crie uma atmosfera agradável: o objetivo do processo de recrutamento e seleção é casar o perfil e as necessidades da empresa com o perfil e as necessidades do profissional. Criar um ambiente tenso ou desconfortável em nada irá contribuir para que este objetivo seja alcançado. Evite excessos de formalidade e abstenha-se de fazer perguntas íntimas que não tenham relevância para o desempenho da função. Seja empático com o candidato.

Peça detalhes sobre a trajetória profissional: empresas onde trabalhou, estrutura organizacional, projetos, interfaces, resultados apresentados. Solicite que o candidato aborde suas experiências de forma cronológica. Isso facilita o entendimento de seus interesses, objetivos e valores profissionais. Saber os motivos de saída de cada empresa, também.

Dê feedback: uma das maiores reclamações dos candidatos em processos de recrutamento e seleção é sobre a falta de retorno das empresas nos casos de reprovação. Esta situação se resolve facilmente com um e-mail informativo agradecendo sua participação. No caso de entrevistas com muitos profissionais, é possível fazer um e-mail padrão. O importante é que o candidato não fique aguardando o resultado eternamente e se sinta respeitado pelo tempo dispendido no processo seletivo.

Algumas dicas sobre o que não fazer em uma entrevista:

Perguntas ou comentários preconceituosos: questões envolvendo orientação sexual, idade, cor da pele, entre outras, causam desconforto ao candidato e não agregam ao mapeamento do perfil profissional.

Ofensas e rispidez: são atitudes desnecessárias que desrespeitam o candidato.

Descaso e superioridade: o mundo corporativo é feito de relacionamentos. A entrevista é uma oportunidade de abrir diálogo e criar contato com diferentes profissionais. Estabelecer relações cordiais é importante para a empresa e para o próprio recrutador, que fortalece sua rede de contatos.

A entrevista é uma etapa muito importante em um processo de recrutamento e seleção. Na dúvida sobre o que fazer, vale aquela máxima do “não faça com o outro aquilo que você não gostaria que fizessem com você”. No final, todos saem ganhando.