Já ouviu a frase “nenhum sucesso financeiro justifica o fracasso pessoal”? Talvez esse seja o dilema que impulsiona muitos profissionais atualmente. O salário, sozinho, já não é mais tão decisivo e motivador. Em uma era de mentes empreendedoras e de pessoas bem preparadas no mercado é necessário criar benefícios que promovam o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal. A regra já não é mais somente o assistencialismo e sim, o bem-estar.

É importante que o departamento de RH esteja sempre atento a todas as possibilidades para manter e promover a motivação dos empregados e assuma a comunicação entre eles e a empresa. Veja abaixo alguns tipos de incentivos que podem fazer parte do plano empresarial no quesito benefícios aos colaboradores.

 

Promover ações durante o expediente

Imagine ser surpreendido com uma massagem no meio de um dia cheio? E começar o expediente com um café da manhã maravilhoso? Essas são algumas das ações que a empresa pode promover para motivar a equipe e dar uma renovada nos ânimos. As ideias são variadas e podem vir, até mesmo, dos próprios empregados. É interessante que o RH faça pesquisas e peça sugestões. O feedback da empresa será realizar algumas dessas solicitações, fazendo o funcionário sentir que é ouvido e que sua voz tem valor.

 

Possibilidade de horários flexíveis

Com a dificuldade em conciliar os horários de trabalho com as outras atividades do dia, tais como afazeres de casa, compromissos da família e cuidados com a saúde, a flexibilidade de horário pode ser, sem dúvida, um dos grandes diferenciais da empresa. Com alguns arranjos e ajustes na jornada, o funcionário consegue conciliar melhor suas atividades. Para que esse tipo de horário funcione é necessário que o RH estude o caso, veja as possibilidades e condições que estejam de acordo, também, com as necessidades da empresa.

 

Realizar sorteios

A empresa pode, eventualmente, sortear para os colaboradores alguns itens com opções que promovam a autoestima, a saúde e os momentos em família, como por exemplo: tratamentos estéticos, diárias em SPA, um jantar com direito a escolher os acompanhantes, uma mensalidade em alguma academia ou clube, ou até mesmo uma viagem, dependendo do que a empresa possa oferecer.

 

Garantir um ambiente de trabalho agradável

Ninguém fica à vontade em ambientes fisicamente desagradáveis e emocionalmente tensos. É necessário que o local de trabalho seja a segunda casa da equipe, que haja harmonia, conforto e que o bem-estar seja uma ferramenta para impulsionar resultados. Como profissional de RH, certifique-se de que o clima organizacional se mantenha sempre positivo, zelando para que todo o material de trabalho esteja funcionando e em bom estado, entre outros.

 

Possibilidade de trabalhar em casa

Com o fácil acesso à tecnologia, à internet e com o desenvolvimento de sistemas operacionais, em algumas organizações, dependo do cargo, já é possível que o profissional realize todas as tarefas sem precisar estar fisicamente na empresa. Nada mais motivador do que poder trabalhar no conforto do lar. Esse benefício será bom não só para ele, que sem enfrentar trânsito e deslocamentos, ganha mais tempo e qualidade de vida, e poderá ser bom também para a empresa, que provavelmente obterá mais resultados desse funcionário satisfeito e economizará em manutenção, transporte e refeição.

 

Liberar a equipe mais cedo na sexta feira

Algumas empresas já adotam essa prática, que faz mais sentido para as que têm expediente apenas de segunda a sexta. É interessante motivar a equipe a terminar as tarefas o quanto antes, mas, claro, sem perder a qualidade e sem que isso afete os resultados de forma negativa, para que possam usufruir dessa vantagem extra.

Mas mesmo em um período de mudança nos interesses, onde o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal é muito válida, os incentivos financeiros ainda contam, e muito, para a motivação. Além dos direitos previstos por lei (férias remuneradas, décimo terceiro salário, vale transporte, fundo de garantia por tempo de serviço e, em algumas situações, vale refeição), existem outros benefícios que o profissional de RH pode colocar em pauta. Veja algumas sugestões:

 

Ter participação nos lucros (PRL)

A participação nos lucros é de natureza não salarial. É um acordo entre o empregador e o empregado e conta com a presença do sindicato de classe. Geralmente, a condição é que determinadas metas sejam atingidas para conseguir obter essa vantagem e o pagamento pode ser igual para todos os trabalhadores ou proporcional ao salário e ao cargo de cada um, característica que será definida ao firmar o acordo. Muitas empresas já utilizam essa alternativa como uma ferramenta motivacional. É uma forma de fazer com que o empregado entenda que quanto mais vestir a camisa e lutar pelos ideais da empresa, maiores serão suas vantagens.

 

Promover bônus e comissões

Essa ferramenta pode ser usada de maneira mais específica, com metas direcionadas para cada departamento. O benefício pode ser individual ou em grupo, parcial ou integral, fixo ou periódico, depende do objetivo e das condições da empresa.

 

Oferecer auxílio-educação e auxílio-creche

Talvez a empresa não possa aumentar o salário de forma significativa, mas com certeza promove grande satisfação quando oferece auxílios que diminuam o custo de vida dos empregados. O auxílio-educação ou auxílio-creche, nos casos em que não são previstos por lei, é um benefício no qual a empresa reembolsa o valor total ou parcial da mensalidade. O bem-estar da família sempre será um dos pontos mais interessantes de se trabalhar, pois transmite certa segurança ao funcionário.

 

Oferecer bolsas de estudo e cursos

Esse incentivo é igualmente interessante para as duas partes. Um profissional qualificado sempre busca por mais conhecimento, nesse caso, a empresa vai dar o “empurrãozinho” com uma bolsa, que pode ser parcial ou integral, para aumentar as possibilidades do empregado. O departamento de RH sabendo das intenções de carreira que a organização tem para cada um,  pode buscar e apresentar cursos que correspondam a esse plano, assim como, o próprio funcionário pode comunicar seu interesse por outras opções. O importante é que ele se sinta motivado a melhorar e utilize isso para o bem da empresa. Quem investe em conhecimento com certeza colhe bons frutos.

 

Novas possibilidades: os benefícios flexíveis

Mediante processos seletivos, pesquisas de satisfação, reuniões e até mesmo conversas de corredor, o profissional de RH precisa estar sempre atento às estratégias de retenção e motivação de talentos, mas muitas vezes, a empresa já adota vários desses benefícios, e mesmo assim, ainda não atinge a satisfação por grande parte da equipe.  Como proceder? Nossa sugestão é tentar uma nova possibilidade, os chamados benefícios flexíveis. A empresa monta um pacote de vantagens e dá a opção ao empregado de fazer determinadas combinações. Assim, ele tem o poder de escolher o que mais lhe auxilia e o que o motiva a ser um profissional melhor para a empresa.