A gestão de carreira na empresa ajuda no desenvolvimento da própria organização e de seus colaboradores. Elaborar um plano de carreira empresarial é estruturar um caminho a ser percorrido pelos colaboradores. Considerando a carreira não apenas como uma ocupação de cargos, mas sim um conjunto de experiências e aprendizados vivenciados pelos profissionais.

A gestão de carreira não serve para elaborar um plano determinado, mas para desenhar trajetórias possíveis para aqueles que estejam dispostos a se desenvolverem na organização. De um lado, os colaboradores possuem competências, habilidades, expectativas e interesses em relação à ascensão profissional. Do outro, a empresa possui objetivos e metas a serem alcançadas por meio das pessoas.

Quando os dois lados estão alinhados é possível conciliar os aspectos individuais e empresarias, tornando o ambiente favorável a motivação e ao desenvolvimento.

Estruturas de gestão de carreira

As trajetórias de carreira estão relacionadas às macros funções da empresa, conforme explica Joel Souza Dutra, doutor em Administração. Ele diz que diferentes trajetórias de carreira estão associadas aos processos fundamentais da organização que existem independentemente do desenho organizacional.

A gestão de carreira é responsável por organizar a trajetória e adotar uma estrutura de carreira a ser seguida na empresa, tais como:

  1. Carreira em linha

É uma sequência de posições em uma única direção que não oferece aos colaboradores uma alternativa. Geralmente, o topo é gerencial e, sendo assim, não fornece outras opções para as carreiras mais técnicas.

  1. Carreira em rede

É um formato que apresenta muitas opções para cada posição na empresa, tal como uma rede. Ela possui foco no trabalho e na estrutura organizacional, viabilizando maior poder de escolha ao colaborador.

  1. Carreira paralela

É uma sequência de posições que o colaborador pode assumir na empresa, sendo essas orientadas em pelo menos duas direções – uma profissional e outra gerencial. Mas, as carreiras paralelas podem se apresentar de várias formas, com duas ou mais linhas, como a carreira em Y e a carreira em W.

Análise do Trabalho

Em gestão de carreira, além de definir a estrutura de carreira, é necessário realizar a análise do trabalho. De acordo com Paul Spector, professor de psicologia da Universidade do Sul da Flórida, a análise do trabalho é um método utilizado para a descrição do tipo de trabalho e dos conhecimentos, competências e habilidades que o colaborador deve possuir para o bom desempenho no cargo.

A gestão de carreira está muito ligada ao que Paul chama de CHAO’s que são conhecimentos, habilidades, aptidões e outras características importantes para a realização de um trabalho.

Conhecimento – aquele que é necessário para desempenhar o trabalho.

Habilidade – tarefas que o indivíduo tem a capacidade de realizar no trabalho.

Aptidão – um talento ou capacidade de realizar tarefas e aprender rápido.

Outras características – podem ser características pessoais que complementam o conjunto.

O reconhecimento do CHAO’s para o desenvolvimento da gestão de carreira é importante para tornar visível à organização qual tipo de profissional ela precisa em cada posição. É recomendável que o CHAO’s esteja incorporado aos programas de treinamento e desenvolvimento da empresa direcionando a preparação de colaboradores para assumirem determinadas funções.

Quando essas diretrizes são claras, os colaboradores sabem o que precisam fazer para serem promovidos. Isso gera segurança, satisfação e motivação.

Gestão e RH

A maioria dos colaboradores deseja participar do processo de gestão de carreira, por esse motivo é importante que o profissional do RH interaja com os colaboradores e supervisores para ouvir expectativas e sugerir trajetórias em relação ao desenvolvimento do plano de carreira na empresa.

O papel do RH na gestão de carreira é estratégico. O RH atua como um consultor! Quem faz a mediação é o supervisor ou gerente de linha, esse tem uma relação mais próxima com os colaboradores e conhece melhor as habilidades e potenciais de cada um, podendo relatar as informações à gerência de recursos humanos.

A partir das informações obtidas, o profissional de RH pode apoiar os colaboradores na gestão de suas carreiras, sugerindo, negociando e fazendo acordos para alinhar as necessidades tanto dos colaboradores quanto da empresa.

Uma organização eficiente deve contar com um sistema global de recursos humanos buscando um consenso sobre a gestão de carreira entre os supervisores, gerentes de linha, e a gestão de recursos humanos.

A empresa que possui um RH que aconselha e informa os profissionais, os ajuda a gerenciar melhor as suas carreiras e isso possibilita o desenvolvimento de competências e habilidades nos colaboradores alinhadas com a cultura e o crescimento da empresa.