A entrevista é um dos momentos decisivos na etapa de seleção de pessoas. É nessa hora que empresa e candidatos se conhecem melhor. O entrevistador é quem representa a empresa e tem a responsabilidade de confirmar as informações sobre os candidatos e avaliar a personalidade e comportamento de cada um deles.

Esse é um momento de tensão e insegurança, mas também de expectativas para ambos os lados. O candidato busca uma oportunidade profissional e a empresa busca um profissional adequado ao cargo disponível. No entanto, percebe-se que os candidatos têm se preparado cada vez mais para as entrevistas, de maneira que os entrevistadores estão tendo mais trabalho para selecionar.

Diante desse processo complexo, qual deve ser o papel do RH na entrevista?

Um entrevistador eficiente

Ser eficiente é fazer o que precisa ser feito com qualidade, planejamento e perfeita execução. Assim deverá ser o entrevistador cumprindo rigorosamente as etapas de recrutamento e seleção de pessoas.

Antes de realizar a entrevista, o profissional de RH deve saber claramente o que está buscando em um candidato: tipo de conhecimento (cursos específicos, formação acadêmica); experiências; características; e, habilidades. Ter em mãos a descrição de cargo é indispensável, assim como o currículo do candidato para checar as informações.

Também é importante conversar com o gestor que trabalhará diretamente com o novo profissional. Pergunte a ele qual o perfil de profissional que deseja, quais tarefas ele deverá desempenhar e confira os mínimos detalhes imprescindíveis.

Organize um roteiro para a entrevista, defina como irá fazer a saudação, o que irá falar e quais perguntas fará. Lembre-se de que é um momento de tensão para os candidatos, por isso, saiba abordá-los fazendo com que se sintam mais confortáveis.

Seja neutro e evite qualquer julgamento pessoal na hora da entrevista, tais como: simpatia; antipatia; orientação sexual; religião; etnia e gostos pessoais. Algumas vezes pode haver escolhas tendenciosas, como, por exemplo, um candidato que torce pelo mesmo time ou tem determinada crença tal qual o entrevistador.

Isso também serve para comentários e comportamentos durante a entrevista. Não faça comentários pessoais, segure o impulso, seja neutro e encontre o equilíbrio entre a formalidade e a informalidade.

Um entrevistador eficaz

Ser eficaz é fazer as coisas com propósito a fim de que os resultados sejam atingidos com sucesso. Assim deve ser o entrevistador, aplicando os métodos corretos para selecionar o profissional adequado ao cargo a ser ocupado.

O RH deve definir qual a modalidade de entrevista será utilizada. Não é raro as empresas associarem duas ou mais modalidades. Entre as entrevistas face a face e de grupo existem: a comportamental; a técnica; a de estresse; entre outras. O entrevistador precisará saber utilizar e associar as práticas mais adequadas à seleção.

É papel do RH investigar o profissional antes e durante a entrevista. Alguns candidatos ainda mentem no currículo para ganharem vantagem competitiva contando experiências profissionais ou educacionais que nunca viveram. Portanto, é importante uma investigação atenta, para isso poderão ser utilizadas as redes sociais, e-mails e telefones disponíveis. Não é difícil saber da vida de alguém nos dias de hoje.

Durante a entrevista, além de conferir com o candidato as informações fazendo perguntas a ele sobre como desempenhava o seu trabalho, o entrevistador deve prestar atenção em quatro itens sobre a vida do candidato:

  1. Histórico profissional – é o item ao qual deve ser dada maior importância. Analise a trajetória profissional e observe o progresso do candidato em seus conhecimentos, habilidades e aversões.
  2. Histórico educacional – procure obter informações sobre a formação educacional do candidato, escolas, faculdades ou cursos que frequentou, observe se é possível perceber a orientação vocacional dele.
  3. Histórico familiar – busque informações espontâneas do candidato sobre os antecedentes familiares e tipo de educação recebida. Uma pergunta direta como: com quem você reside, já ajuda, mas dê preferência a perguntas mais sutis como: quem te incentivou a fazer tal curso ou com quem você aprendeu sobre isso.
  4. Ajustamento social – avalie o candidato considerando os grupos aos quais pertence, se tem algum engajamento em causas políticas, religiosas ou sociais.

Lembrando que esses itens são apenas para traçar o perfil do candidato e não para fazer discriminações.

É papel do RH não selecionar o candidato apenas pelo currículo, mas também pelas competências técnicas. O gestor da área na qual o candidato irá trabalhar poderá elaborar um teste para aferir as habilidades técnicas e emocionais requeridas.

Portanto, o papel do RH é adotar uma postura condizente com o perfil de um entrevistador, ser responsável, organizar e cumprir com eficiência todo o processo de recrutamento e seleção. Assim, poderá ser eficaz e realizar uma escolha assertiva para a empresa.