Sem contar com um bom dicionário de competência você não pode realizar uma avaliação de competências. Saiba como elaborar um bom dicionário e evitar os erros mais comuns.

 

No primeiro artigo desta série sobre Dicionário de Competências foi definido o que é uma competência e comentado sobre a evolução natural do conceito C.H.A., então não repetirei aqui estas informações. Se você ainda não leu este artigo, acesse aqui o link para A evolução do conceito do C.H.A. para a avaliação de competências”.

Neste artigo eu ajudarei você a criar um ótimo dicionário de competências.

Só recapitulando: competência é um agrupamento de conhecimentos, habilidades e atitudes correlacionados, que afeta parte considerável da atividade de alguém, que se relaciona com o desempenho e que pode ser medido.

 

O que é um dicionário de competências?

Um dicionário de competências nada mais é do que um leque de competências bem definidas para apresentarmos aos gestores (lideranças) como um “cardápio”, sobre o qual eles “escolherão” aquelas competências que melhor representam o que o cargo pretende desenvolver.

A criação de um dicionário de competências da empresa também tem como objetivo minimizar os efeitos subjetivos de uma avaliação e uniformizar o conceito da competência entre os avaliadores. Recomenda-se que as avaliações sejam realizadas sob os mesmos critérios e não na interpretação individual do avaliador a respeito de um certo título.

Cuidados ao utilizar um dicionário de competências “pronto”:

  • Não se fixe apenas nos títulos das competências, pois eles são apenas “rótulos”.
  • Faça adaptações, seja de linguagem, seja de conteúdo.

Lembre-se, as competências técnicas mais importantes serão particulares do seu negócio, sendo assim, será pouco provável você encontrar um dicionário pronto.

Orientação: ao montar seu dicionário de competências comportamentais tome o cuidado de não introduzir como competência, por exemplo, ética e honestidade, pois estes valores que sua empresa segue, mas que não faz sentido indicar como pontos a serem mensurados em uma avaliação, pois pense bem, você contrataria, ou manteria empregado, uma pessoa que não é ética ou honesta?

 

 

Formatando o Dicionário de Competências

Há um consenso de que um dicionário de competências deve ter pelo menos 3 elementos:

  1. Título: nome da competência.
  2. Conceito: é a definição ou descrição da competência.
  3. Níveis de complexidade OU comportamentos observáveis.

A formatação do terceiro item é onde encontramos mais variações, mas o mais comum é encontrarmos dois tipos de apresentações:

1º Níveis de complexidade: é o formato onde definiremos cada um dos níveis de cada uma das competências e não simplesmente utilizaremos a definição da escala de avaliação.

2º Comportamentos observáveis: neste caso, apenas listamos os comportamentos que indicam a prática da competência.

Dica: é comum no meio corporativo utilizar-se uma mescla destas formatações onde para as competências técnicas é empregada a definição dos níveis de complexidade, pois é mais fácil para as lideranças avaliarem este tipo de competência, e para as competências comportamentais utiliza-se o desdobramento da competência em comportamentos observáveis.

 

Direcionando a avaliação de competências comportamentais

Mesmo com uma boa definição das competências comportamentais sabemos que ainda assim é difícil mapearmos as competências dos cargos e avaliarmos pessoas.

Para auxiliar as lideranças neste trabalho as empresas tem desdobrado o conceito da competência comportamental em comportamentos observáveis.

Este termo tem encontrado muitas variações nas empresas, tais como: indicadores de desempenho da competência, indicadores comportamentais, práticas observáveis, elementos da competência, comportamentos indicadores, indicadores da competência, condutas observáveis, práticas associadas, e assim vai.

A melhor forma de deixar bem clara esta explicação é exemplificando com os comportamentos observáveis da competência de autodesenvolvimento:

  1. Empenha-se em aprimorar seus conhecimentos, habilidades e postura, de forma autônoma.
  2. Demonstra abertura para receber feedback que ajude a identificar ações necessárias para o seu aperfeiçoamento.
  3. Faz uma auto avaliação adequada, estando ciente de suas capacidades, conhecimentos e experiências.
  4. Participa efetivamente de treinamentos e ações de capacitação, buscando seu desenvolvimento profissional.

 

Principais erros na definição de competências

Informações muito subjetivas

Sempre que são definidas competências muito subjetivas, a informação tem pouca chance de contribuir para os objetivos do programa de avaliação.

 

Detalhamento Excessivo

Identificar vários títulos interdependentes só se justifica se sua aquisição for feita separadamente ou se seu conteúdo for demasiadamente complexo.

 

Detalhamento insuficiente

Agrupar competências distintas sob um mesmo título pode impedir a compreensão correta de como orientar o treinamento e desenvolvimento.

 

Nomes diferentes, competências iguais

Uma mesma capacidade pode ter vários nomes, por isso definir previamente o dicionário de competências antes do processo de mapeamento nos cargos previne que a mesma competência tenha vários nomes em áreas distintas, por exemplo:  relacionamento interpessoal, lidar com pessoas, atender a público.

 

Ignorar relação com treinamentos

Preferencialmente, um título de competência deve remeter ao nome do treinamento que garante sua aquisição.

 

Conclusão

Independente se você esteja adquirindo um dicionário de competências “pronto”, construindo-o internamente ou contratando uma consultoria especializada, lembre-se de sempre adequá-lo a realidade e cultura da sua empresa e, mais importante ainda, lembre-se de que o quão mais simples, claro, objetivo e conciso ele for, mais facilmente você conseguirá que os colaboradores o compreendam e utilizem da mesma forma.

 

Dicionário de Competencias

 

CONTINUAÇÃO…

Este é o segundo artigo da série Dicionário de Competências, no próximo artigo que será lançado em 01/08/2016 você aprenderá como definir a escala de avaliação de competências mais adequada ao seu processo e cultura da empresa. Fique de olho, assine o blog e acompanhe nossa newsletter!

 

Como um sistema de RH pode ajuda-lo com este processo?

Um sistema de RH especializado em gestão de competências ajudará você na criação do dicionário de competências e o ajudará a facilmente mapear as competências dos cargos e preparar seu processo de avaliação de competências.

Um software especializado trabalha com várias formatações das competências, níveis e comportamentos observáveis, e permite você criar seus conjuntos de competências da forma que melhor se adequar a sua empresa, além de te dar muitas análises do processo de avaliação, desde relatórios consolidados de gaps de competências a até análises gráficas de dispersão dos funcionários cruzando desempenho e potencial, ou mesmo diagnósticos de evolução do desempenho dos colaboradores e/ou áreas ou unidades da empresa. Enfim, são muitas análises para ajudá-lo na melhor decisão para preparar seu plano para gestão das competências.

 

E-book sobre dicionário de competências

Este artigo tem apenas o objetivo de introduzir este assunto, pois já há um e-book gratuito, do mesmo autor, com mais definições e exemplos. Digite exatamente o termo “ebook dicionário competências” que você encontrará o link para fazer o download deste e-book ou procure na página do Linkedin e Facebook do autor Ricardo Vignotto.

Este e-book tem a finalidade de ajuda-lo a construir um ótimo dicionário de competências para seu processo de avaliação. Serão apresentados conceitos de uma maneira prática e direta, além de fornecer um completo dicionário de competências técnicas e comportamentais.