Há algum tempo temos nos deparado com grandes mudanças sociais e o incremento de novas tecnologias que tem gerado modificações significativas no mercado de trabalho. Nesse cenário, também observamos uma crescente evolução dos profissionais, que hoje tem uma expectativa de vida maior e consequentemente terão carreiras que durarão muito mais tempo.

Os profissionais nesse novo contexto trazem novas expectativas em relação à vida profissional e a carreira. Já que os profissionais mais novos e os mais velhos trabalharão por muito mais tempo do que as gerações anteriores e, por isso, tem buscado por um novo tipo de estrutura de carreira, em que tenham mais flexibilidade e variedade em seu trabalho, o que muitas vezes, significa experimentar novas atividades ou ocupações. Isso tem gerado transformações na relação empregado-empregador, pois há uma necessidade crescente das empresas repensarem suas práticas e seus modelos de carreira para conseguir atrair e reter os melhores profissionais em todas as fases de sua carreira.

Diante da evolução dos profissionais e o aumento a expectativa de vida, as empresas devem se preparar para um novo modelo de carreira, que contemple uma maior flexibilidade para que o colaborador possa explorar outras áreas de interesse profissional e múltiplas atividades ao longo de sua vida. Para isso as empresas precisam investir em formas de apoiar e até estimular essas novas formas de trabalho, como:

 

  1. Promover a flexibilidade no ambiente de trabalho

Para isso é importante que a empresa reavalie o modelo de contrato de trabalho, oferecendo alternativas para aqueles colaboradores que querem trabalhar em horários alternativos ou de forma remota.

  1. Investir nas habilidades dos colaboradores

Ao incentivar que os profissionais se capacitem e experimentem novas habilidades, a empresa amplia o leque de competências a sua disposição e, ao mesmo tempo, proporciona aos colaboradores liberdade para mudar dentro de sua área ou assumir outros cargos.

  1. Incentivar os funcionários a adotar mudanças e a buscar um novo no ambiente de trabalho

As empresas precisam divulgar para os colaboradores as oportunidades que dispõe e incentivá-los a aprender novas habilidades ou explorar novas áreas de interesse, apoiando-os nessa nova estrutura de carreira.

  1. Buscar outros meios para apoiar os colaboradores

Muitos colaboradores possuem habilidades valiosas para a empresa, porém, muitas vezes, demandam tempo para investir em outros projetos pessoais ou profissionais, ou mesmo ambientes de trabalho mais flexíveis. Nesse aspecto, é importante que a empresa esteja aberta para avaliar possibilidades de licenças, de recontratação de trabalhadores que deixaram o mundo do trabalho para criar uma família ou para oferecer trabalho remoto aos colaboradores.

Por outro lado, as pessoas também precisam atender as novas exigências do mercado de trabalho para conseguir se manter em ambientes organizacionais que requerem cada vez mais o domínio das novas tecnologias e que se mostra muito mais competitivo.

O profissional do futuro, precisa não só ter uma formação acadêmica ou competências técnicas, mas é necessário que se mantenha sempre atualizado e invista cada vez mais em adquirir ou desenvolver competências comportamentais, pois, não basta ser bom tecnicamente, mas é necessário que o profissional do futuro compreenda seu papel na empresa e possua habilidades, valores, ética e competências comportamentais para responder de forma eficaz as demandas do ambiente de trabalho.

Nesse sentido, todos devem buscar desenvolver alguns aspectos, como:

  • Autoconhecimento: o profissional do futuro precisa investir em conhecer seus pontos fortes e aqueles que precisa desenvolver, visando potencializar suas habilidades e competências, gerando maior contribuição para a empresa e sendo capaz de tomar decisões mais seguras, tendo maior foco, otimizando processos e alcançando resultados mais eficazes.
  • Inteligência emocional: o profissional precisa ser capaz de reconhecer e lidar com suas emoções e das pessoas que o cercam, para conseguir contribuir de forma mais eficaz no trabalho.
  • Flexibilidade: em ambientes organizacionais que mudam o tempo todo é necessário que o profissional do futuro seja flexível aos imprevistos e aos novos desafios, conseguindo transformá-los em oportunidades e se adaptando aos novos ambientes.
  • Agilidade: ser capaz de resolver problemas e responder de forma rápida, ágil e eficaz são qualidades fundamentais em ambientes cada vez mais tecnológicos.
  • Comunicação: além de saber se expressar, o profissional do futuro, precisa saber ouvir diferentes opiniões, entender a necessidade de toda a empresa e ser capaz de transmitir informações e processos de forma clara, além de dar e receber feedback construtivos.
  • Criatividade: ser capaz de encontrar soluções inovadoras e criar novas formas de trabalho e projetos é uma habilidade cada vez mais requerida dos profissionais.