CONARH: O papel do líder na transformação digital

0
434

No chamado mundo VUCA (volátil, incerto, complexo e ambíguo) nos deparamos com uma transformação digital e um mundo complexo que nos faz repensar e estarmos atentos 360º, ou seja, no mercado e no ambiente ao todo. São curvas sinuosas e ruas cheias de buracos e obstáculos que exigem motoristas aptos e atentos a todo o momento. A transformação digital se faz presente no dia-a-dia e por mais que estejamos a um passo de sistemas cyber-físicos, só o ser humano é capaz de pensar estrategicamente, exigindo que as empresas consigam unir a capacidade humana com a tecnologia que será capaz de automatizar processos e gerar dados concisos e que façam com que as decisões sejam cientificadas, ou seja, baseadas em dados reais e executadas no tempo certo, afinal, não há mais tempo para erros grotescos que podem ser prevenidos, e a organização que compreende este cenário sai na frente significativamente.

Para que essa transformação digital seja bem-sucedida nas organizações é necessária que seja definida uma estratégia que introduza as novas tecnologias no negócio e para isso é preciso que se mude a cultura de toda a empresa para que ela se beneficie de novas oportunidades e aperfeiçoe processos que, antes, tomavam tempo dos colaboradores e gestores e tornavam-se urgentes, deixando o que era de fato importante de lado.

E para que essa transformação digital seja, de fato, integrada na empresa, algumas competências de lideranças se tornam essenciais nesta nova necessidade:

  • Orientação para a mudança: competência que está relacionada a identificar ameaças e oportunidades no tempo certo e na capacidade de assumir riscos e ter iniciativa para implementar uma nova mudança.
  • Orientação para as pessoas: capacidade de mostrar apoio, saber orientar e incentivar a colaboração e o trabalho em equipe. Está relacionada ao relacionamento como um todo.
  • Orientação para as operações: líderes que são capazes de elaborar estratégias que aumentam a produtividade e diminuam os custos da empresa.
  • Orientação para o contexto: capacidade de lidar e/ou adaptar mudanças na corporação.

Na entrevista abaixo, que também pode ser assistida no nosso canal do YouTube, Joacir Martinelli, Diretor da Duomo Educação Corporativa, fala sobre a transformação digital e como isso afetará as empresas e a liderança.

BlogRH: Como esta transformação digital impacta a gestão de pessoas?

Martinelli: Impacta bastante! Estamos tendo uma mudança significativa da questão do poder dentro das empresas. Nos últimos 200 anos, praticamente, as organizações trabalharam em um modelo de hierarquia muito estabelecida e esse modelo era muito adequado para um ambiente que era mais estável. Imagine que a empresa seja um carro, esse carro estava fazendo uma viagem em uma estrada que era razoavelmente regular bem iluminada, com alguns buracos e algumas curvas, mas o motorista dava conta desse cenário. Agora essa estrada se transformou muito e tende a se transformar ainda mais. Ela está muito mais imprevisível, cheia de obstáculos, escura e esse motorista não consegue mais dirigir sozinho. Transferindo para a realidade, esse motorista é a alta direção da empresa que tinha um pouco de auxilio do restante dos passageiros desse veículo para a direção desse carro, mas eles davam conta dos obstáculos que já existiam, mas com o mundo que estamos, o chamado mundo VUCA, a participação de todas as pessoas que estão nesse carro é muito mais significativa para que se consiga fazer a viagem, então a gestão de pessoas dentro da empresa precisa, de alguma maneira, aproveitar melhor as pessoas para que elas consigam achar soluções para um mundo que é mais complexo que o mundo anterior.

BlogRH: Quais estratégias digitais os líderes podem tomar diante dessa transformação?

Martinelli: Acho que uma coisa bem importante, para que todos tenham claro, é que quando a gente fala de mundo digital, ou de negócios digitais, não estamos nos referindo simplesmente a empresas que tenham um produto digital ou um negócio digital, estamos falando de outro jeito de pensar, o mindset digital, então acredito que o primeiro aspecto importante da liderança é que esse líder compreenda que há uma mudança que se espera dele como gestor dentro da empresa. Ele precisa entender esse papel e entender que é necessário a estimulação de um ambiente mais inovador e que não se tem mais as soluções, como se tinha antigamente. Para dar conta dessa complexidade é preciso que se estimulem as pessoas a terem mais autonomia e responsabilidade para conseguir fazer essa transformação digital e esse líder pode contar com questões digitais para tomadas de decisão. Hoje se fala muito de Big Data e sobre o RH do People Analytics que é uma maneira de cientificar a gestão, ou seja, tornar a tomada de decisão menos intuitiva e mais baseada em dados. Então, acredito que os gestores se beneficiarão muito se eles conseguirem de fato acumular informações em relação às pessoas que trabalham na empresa e também dos seus clientes e a partir disso fazer o gerenciamento.

BlogRH: Você acredita que, caso as empresas não se atualizem, podem perder mercado? Por quê?

Martinelli: Não só acredito como sei que isso vai de fato vai acontecer. É algo bem interessante porque eu acredito que estamos falando sobre mudança há muitos anos. Eu estava lendo há alguns dias atrás um artigo que escrevi há uns 15 anos e eu começava esse artigo assim: “O mundo nunca mudou tanto como está mudando agora”. Eu imaginava que isso estava acontecendo há 15 anos. A velocidade da mudança agora é muito mais significativa do que o que estava acontecendo, mas como as pessoas ouvem a questão da mudança há muito tempo, elas ainda não se deram conta do que está para acontecer, e acredito que, especialmente as empresas mais tradicionais que têm produtos que são mais conservadores, podem achar que a revolução digital não vai chegar até elas, e isso é realmente um grande engano. Se pegarmos, por exemplo, a indústria de construção civil, que talvez seja uma das mais antigas do mundo, é sabido que dentro de 5 ou 10 anos no máximo vai estar sendo extremamente utilizado a impressora 3D para fazer construção. A Ford hoje que está desenvolvendo um carro que sairá da impressora 3D totalmente montado, então todos os negócios, por mais tradicionais que eles sejam, têm necessidades não satisfeitas em seus clientes e com certeza alguém está tentando resolver. Provavelmente já existe uma startup pensando em como transformar o seu negócio em um negócio digital e mais amigável para o seu cliente. Você pode acordar de uma hora para a outra com um novo player no mercado ou um entrante com um novo modelo de negócio que pode eliminar a sua empresa, então é melhor pensar sobre essa atualização imediatamente.

BlogRH: Como a tecnologia pode ajudar os líderes nas tomadas de decisões?

Martinelli: Como já comentei um pouco sobre a questão do Big Data, hoje temos tecnologia que nos permite rastrear claramente as informações do que as pessoas vão deixando na rede, isso é chamado de karma digital, ou seja, conforme você vai andando dentro da rede você vai deixando sinais de gostos, preferências e isso tudo pode ser analisado com o uso de um algoritmo que dará informações muito precisas sobre questões, que até então, a gente desconhecia a necessidade, tanto do cliente como dos próprios colaboradores dentro da empresa. Concluindo, essas informações, se bem analisadas, elas podem fazer com que a gente tome decisões que são muito mais precisas do que o que a gente tinha, apenas utilizando nossa capacidade intelectual de guardar informações.

Martinelli é Diretor da Duomo Educação Corporativa. Facilitador em diversos programas de desenvolvimento, consultor organizacional  e especialista em Psicologia Social.

 

 

Últimos artigos – Cobertura CONARH 2017

CONARH – Gestão de desempenho – O que é necessário para transformar esse processo?

CONARH: Felicidade Feminina: uma escolha possível com práticas da Psicologia Positiva

CONARH: O papel do líder na transformação digital

CONARH: Endomarketing – Como utilizá-lo para apoiar o direcionamento estratégico do negócio

CONARH: Liderança Coletiva – Novas competências para um mundo VUCA

CONARH: Big Data e Analytics – Apoiando o processo de tomada de decisão