O cenário atual do mercado de trabalho se torna cada vez mais dinâmico e os líderes das empresas devem se adequar aos avanços e mudanças decorrentes desse processo. Eles assumem uma postura que se apoia na motivação e inspiração necessárias para que a equipe conviva de maneira harmoniosa e entregue resultados cada vez melhores.

É fundamental que o líder entenda o funcionamento da estrutura do setor e o fluxo em que as demandas perpassam por sua equipe, já que o domínio da área permite maior treinamento dos colaboradores e, consequentemente, melhor desempenho e motivação de todos os envolvidos. Compreender o que move sua equipe garante a criação de estratégias para o atingimento de metas. Essa influência, de acordo com a CCL, pode se apoiar em três táticas: a lógica (the head); a emocional (the heart); e, a cooperativa (the hands). A primeira se baseia em argumentos baseados em fatos e números, a segunda em valores e emoção e a terceira em uma proximidade pautada no aconselhamento e assistência.

O olhar crítico de um líder é igualmente valioso, assim como a atenção prestada à sua equipe. Um colaborador que demonstra baixo desempenho na área comercial, mas se destaca no planejamento pode apresentar melhores resultados se remanejado de área, assim como a promoção a cargos mais altos funciona como incentivo a pessoas que ultrapassam as expectativas em uma determinada função. Um gestor atento percebe que algumas mudanças poderão ser feitas para o melhor aproveitamento.

Um bom líder consegue se comunicar de forma objetiva e clara com sua equipe e com toda a hierarquia da organização, sabendo delegar tarefas e cobrar a entrega de resultados sem alimentar um clima de tensão entre os colaboradores. Ademais, a escuta é igualmente fundamental. Ele é o primeiro contato do colaborador em momentos de crise e ao demonstrar real interesse e ouvir as demandas de sua equipe, ganha confiança e consegue um manejo pautado na empatia estabelecida.

A capacidade de convencimento é uma das habilidades mais importantes de um líder. Quando ele internaliza os princípios da empresa e traça objetivos nítidos dentro de uma área, é possível transmitir tal segurança e firmeza à equipe. O colaborador precisa saber por que a atividade que ele realiza é importante e no que os resultados irão impactar. É papel do líder demonstrar e instigá-lo a fazer o seu melhor em benefício de um bem comum: o crescimento da empresa. O cuidado na maneira como é falado algo é chave, visto que “a entonação da voz corresponde a 38% da mensagem, enquanto a postura e as expressões do rosto a 55% daquilo que é captado pelo cérebro.”

Quando se trata de um líder de RH, o processo não é diferente. Todo colaborador quando entra na empresa, tem o primeiro contato com a área de Recursos Humanos e, devido a isso, a equipe responsável por todos os processos desse setor deve estar motivada e disposta a um atendimento de excelência. É nesse ponto que um bom líder faz toda a diferença. O gestor de RH deve conseguir administrar conflitos e garantir um bom clima organizacional não só para a sua área, mas instigar tal comportamento em todos os novos colaboradores.

Uma das tarefas mais árduas a serem cumpridas pelo gestor de RH é conseguir a aprovação para implantação de treinamentos e eventos que promovam o desenvolvimento contínuo dos colaboradores. Para conseguir o sinal verde da diretoria e liberação de verba, por exemplo, o líder precisa ter o poder de persuasão e apresentar no projeto os benefícios financeiros e não-financeiros. Quando a empresa investe em seus colaboradores, ela alimenta tanto o conhecimento teórico e prático, como motiva o colaborador a demonstrar, em forma de resultados, a gratidão pela atenção prestada a ele.

Seja do RH ou de outra área dentro de uma organização, há estratégias que são universais, como analisar a postura corporal dos membros da empresa e, pouco a pouco, replicar alguns gestos ou modos de falar para criar certa proximidade e alimentar a empatia. Consolidar uma rede de apoiadores é igualmente importante, pois permite que eles disseminem as ideias que você acredita que irão alavancar a empresa às pessoas que ainda não se posicionaram diante uma decisão. Ao propor algo novo, cuidado com a abordagem. Dê preferência para frases que valorizem o trabalho atualmente feito, mas, ao mesmo tempo, apresentem a nova estratégia como uma proposta de melhoria dos processos através de mudanças gradativas.

De modo geral, o líder do futuro deve olhar para si mesmo e eliminar as máscaras que construiu até o momento para, assim, começar a se importar verdadeiramente com sua equipe e com a empresa. A liderança está diretamente ligada à confiança e respeito, que deverão estar presentes no RH e em todos os setores de uma boa empresa.