“Empoderar” mulheres e promover a equidade de gênero são garantias para o fortalecimento da economia e dos negócios. E afinal, o quanto as empresas brasileiras promovem mulheres? Leia mais!

No topo das organizações brasileiras, apenas 18% das grandes empresas tem mulheres entre seus executivos e, entre as 250 maiores empresas brasileiras, apenas 4% dos principais executivos são do sexo feminino.

Esta lógica perversa do mercado de trabalho se dá, devido a um ciclo vicioso, onde os altos escalões são formados por homens e estes elegem outros homens para o comando, alegando que a mulher não tinha perfil para tal cargo.

Pesquisas mostram que as brasileiras recebem por hora trabalhada, o equivalente a 84% do que ganham os homens no mesmo cargo e ainda para os cargos de alto escalão, onde a formação precisa ser maior, quando elas estudam mais de 12 anos recebem salários equivalentes a 66% da remuneração dos homens.

É lamentável, pois a mulher continua a lutar por espaços onde já comprovou talento e habilidade para contribuir não só para o desenvolvimento das empresas como da economia de um país.

Neste sentido, “empoderar” mulheres e promover a equidade de gênero em todas as áreas, são garantias para o fortalecimento da economia e o impulsionamento dos negócios, que consequentemente melhora a qualidade de vida de mulheres, homens e crianças.

Ciente desta importância das empresas para o crescimento das economias e para o desenvolvimento humano, a ONU Mulheres e o Pacto Global criaram os Princípios de Empoderamento das Mulheres.

Os princípios são um conjunto de considerações que ajudam a comunidade empresarial a incorporar em seus negócios valores e práticas que visem à equidade de gênero e ao empoderamento de mulheres.

 

Conheça os sete Princípios de Empoderamento das Mulheres:

  1. Estabelecer liderança corporativa sensível à igualdade de gênero, no mais alto nível.
  2. Tratar todas as mulheres e homens de forma justa no trabalho, respeitando e apoiando os direitos humanos e a não discriminação.
  3. Garantir a saúde, segurança e bem-estar de todas as mulheres e homens que trabalham na empresa.
  4. Promover educação, capacitação e desenvolvimento profissional para as mulheres.
  5. Apoiar empreendedorismo de mulheres e promover políticas de empoderamento das mulheres através das cadeias de suprimentos e marketing.
  6. Promover a igualdade de gênero através de iniciativas voltadas à comunidade e ao ativismo social.
  7. Medir, documentar e publicar os progressos da empresa na promoção da igualdade de gênero.