Já é fato conhecido de que momentos de crise vão e vem. Só nos últimos anos, por exemplo, aproximadamente três grandes crises financeiras mexeram com o mundo dos negócios. Empresas que lidam diretamente com comércio são as que mais sentem os abalos, assim como startups e micro empreendimentos.

No entanto, investir na capacitação de seus líderes e gestores, que lidam diretamente com sua equipe e força de trabalho, é a melhor maneira de tornar sua liderança cada vez mais estratégica.

Um líder treinado e preparado para mudanças constantes estará sempre pronto a sugerir adaptações corretas e preparar a organização para os desafios que estão por vir. É um líder que gera lucro.

Esses “líderes excelentes”, assim classificados por Jim Collins, autor e professor de liderança, formado pela Stanford University, são “modestos, mas determinados; humildes, mas corajosos. Sua ambição é direcionada para a empresa e não para o lado pessoal”.

Quando se fala em liderança estratégica, é importante frisar que algumas características são essenciais. Além das habilidades normais que um líder precisa ter, alguns outros pontos podem (e devem!) ser aprimorados.

Preparando os líderes da equipe

É importante que o profissional de RH tenha em mente que desenvolver uma boa liderança estratégica envolve determinada quantidade de ações que precisam ser incentivadas. Não se nasce o líder que a empresa deseja; torna-se.

  • Desenvolver com os líderes os valores e cultura da empresa. Deixar claro quais são os códigos, padrões e objetivos da companhia, em linhas gerais.

Isso precisa ser exposto desde o momento da contratação, quando se analisa a personalidade de cada candidato. Quando aprovado nesse primeiro momento, o colaborador precisa fazer treinamentos que o ajudem a se identificar com a empresa da melhor maneira possível.

  • Permitir aquisição de experiência e estudo. Cursos de aprimoramento, encontros periódicos, reuniões diversas, atividades e outros meios de aperfeiçoamento que deem ao profissional mais conhecimento para ser aplicado na empresa – e mesmo fora dela.

Esse tipo de benefício costuma reter talentos, que sentem que a empresa está investindo realmente nele e em seu desenvolvimento. Cabe ao profissional de RH manter o líder sempre atualizado de ferramentas que lhe podem ser úteis nesse processo de aquisição de conhecimento.

Importância do coaching na liderança estratégica

O “coaching” (do inglês, “treinamento”) é um termo cada vez mais usado em contextos gerais, mas ainda pouco compreendido por algumas pessoas, que confundem os treinamentos com sessões de autoajuda. Algumas empresas também não investem o suficiente para ver resultados palpáveis e acabam esquecendo de que estratégias desse tipo são benéficas para os negócios, desde que bem aplicadas.

Entre as principais vantagens do coaching para líderes estão:

  • Nova visão: o líder assume uma nova postura, buscando melhorias constantes nos negócios e estratégias para fazer com que toda a equipe alcance sempre suas metas.
  • Equilíbrio: o coaching ajuda na organização do líder como um todo, para que ele se sinta confortável em seu trabalho e busque o melhor para os negócios de maneira prazerosa e não como um fardo ou obrigação enfadonha. Ele sabe que o sucesso dos negócios da empresa reflete em sua carreira e dá valor a isso.
  • Administração do tempo: mais consciente de seu papel e afazeres, o líder passa a cuidar melhor de sua agenda de compromissos e aprende a conciliar com projetos pessoais e família. Isso também é liderança estratégica.

Além disso, é através do coaching que o líder passa a se entender de uma maneira mais clara em seu papel de líder, e não de chefe. Ele abandona a postura totalmente autoritária para assumir o papel de gestor. Isso motiva os outros colaboradores e atrai cada vez mais bons resultados para a empresa, pois a liderança estratégica é, acima de tudo, respeitada, e não temida.

Voltando ao profissional de RH, nesse caso é primordial que ele saiba exatamente que tipo de profissional deverá contratar para guiar os líderes da empresa. O coach precisa estar alinhado com o lema e objetivos da companhia, para refletir isso em cada treinamento. Afinal, como o termo e a atividade se tornaram algo muito popular, é importante selecionar com cautela quem fará os treinamentos dos líderes, e que dê preferência à modalidade de liderança estratégica.