Nos últimos anos, a forma como conhecemos e executamos os trabalhos vem sofrendo modificações. Os empregos e funções estão se tornando cada vez mais exigentes e específicos, onde os profissionais precisam ser multitalentos, o que fez surgir um novo conceito: Job Crafting.

As muitas variações, como a oferta em abundância de tecnologia, a procura por conhecimento e a busca constante por automatização de processos, que são do cotidiano, foram uns dos muitos fatores que fizeram com que chegássemos até essa nova realidade.

O Job Crafting conceitualmente falando, refere-se a uma prática de recriação do sentido de trabalho que é contrário à definição e ao engessamento das responsabilidades, ou seja, os profissionais serão mais proativos. A ideia principal em torno desse conceito é que as atividades profissionais sejam bem mais produtivas devido ao despertar de uma relação de carinho com as funções que são executadas.

Job Crafting: O que é?

No ano de 2001, duas professoras americanas desenvolveram uma pesquisa, onde foi observado um grupo de profissionais onde suas atividades eram pouco valorizadas. As entrevistas aconteceram com uma equipe de limpeza de um determinado hospital da região, ao final foi possível perceber a diferença de percepção entre cada um dos indivíduos sobre o mesmo emprego.

O resultado deste estudo foi uma grande disparidade entre a forma com que cada um dos indivíduos percebiam o emprego:

  • O primeiro grupo analisado desenvolvia suas atividades por simples obrigação, com pouca ou nenhuma satisfação e com poucas interações sociais, objetivando apenas o pagamento ao final do mês.
  • Já o segundo grupo percebeu a importância das suas atividades, via um sentido acima do “apenas” exercer aquela função, entendia sua função como parte fundamental do processo de melhoria das pessoas.

O termo Job Crafting foi um termo utilizado para traduzir o que ocorreu com o segundo grupo, que conseguiu enxergar o real valor em suas atividades. Logo, a definição correta é o redesenho do verdadeiro sentido da função/atividade, ou seja, é o momento em que os profissionais se tornam coautores das suas atividades exercidas no ambiente de trabalho.

A pesquisa é clara: as pessoas se sentem bem quando ajudam os outros. É por isso que as pessoas muitas vezes trabalham para enfatizar as partes do trabalho que são relacionais e altruístas. Isso é comum em funções de atendimento ao cliente, mas é possível em muitos, e não é apenas sobre interações com clientes, mas com quem o funcionário interage. Pode ser dirigido a todos, ou a um grupo específico com quem eles têm empatia.

No momento em que o profissional está avaliando a descrição de cargo, onde todas as obrigações estão formuladas, de forma inconsciente ele mesmo se limita à descrição. No momento em que ele consegue se transpor dessa barreira é possível perceber as oportunidades de desenvolvimento do seu trabalho, passando assim a iniciar sua prática no Job Crafting.

Podemos exemplificar desta forma: um cuidador em um hospital pode desenvolver uma forte empatia com os pacientes e dar uma pausa para conversar para que eles se sintam melhor antes da cirurgia. Isso vai muito além do que apenas cumprir suas funções como cuidador.

Job Crafting: Qual a importância?

O estudo que foi realizado pelas professoras ofereceu aos gestores uma nova visão sobre a forma como os seus funcionários enxergam suas atividades, onde eles perceberam como pequenas atitudes que são incluídas no dia a dia podem agregar valor ao profissional.

Cada indivíduo realiza uma atribuição específica para uma atividade desempenhada por ele, onde é possível ter pares em execução de atividades que estejam em patamares diferentes de motivação, que influencia diretamente na qualidade da execução de uma determinada atividade.

Quando os profissionais conseguem entender os benefícios que a execução das suas atividades pode trazer, tanto para os demais profissionais quanto para a empresa, o prazer em executar aquela atividade aumenta, trazendo excelência na execução de todas as suas funções.

Com isso, os profissionais conseguem enxergar qual o real sentido para aquela atividade que estão executando, percebendo quais são os impactos quando a qualidade não é a ideal, para aquele produto ou serviço.

Os demais benefícios para a prática do Job Crafting são:

  • Valorização da atividade/função;
  • Aumento da satisfação e da produtividade;
  • Aumento do engajamento com a empresa;
  • Curiosidade em criar práticas; e,
  • Elevação da criatividade.