Seja qual for o seu conjunto de habilidades hoje é provável que não seja suficiente para a futura empregabilidade. A melhor maneira de proteger a sua carreira é continuar adquirindo novos conhecimentos e habilidades. Um bom líder olha para o mundo a sua volta buscando sinais de mudança e desenvolvendo a capacidade de reagir a elas. As pessoas mais bem-sucedidas estão continuamente em busca de aprendizado, elas habituam-se a viver num estado contínuo de “tornar-se”, se mantendo a par sobre mudanças sociais, econômicas, políticas e culturais.

Infelizmente, alguns profissionais não enfrentam suas deficiências, contestam feedbacks negativos, terceirizam a culpa para seus superiores, entre outras atitudes que em nada contribuem para o seu desenvolvimento. Por isso, aqui vão algumas dicas testadas para superar essa síndrome.

 

  1. Saiba onde você está e não adianta perguntar apenas para você mesmo

O primeiro passo na jornada do aprendizado contínuo é passar de inconscientemente inconsciente sobre suas forças e áreas de desenvolvimento para conscientemente inconsciente. Para isso, será preciso pedir um feedback de pessoas que o conhecem muito bem. Esse feedback lhe dará informações detalhadas sobre o que você faz bem e o que você não faz tão bem. Além disso, mostrará o que você deveria fazer e o que deveria deixar de fazer.

 

  1. Classifique o feedback

Depois, é hora de reunir cada feedback, classificando-os em categorias. Aqui estão algumas maneiras que podem ajudar nessa etapa:

  • Pontos fortes claros – eu no meu melhor
  • Forças exageradas – eu faço muito de uma coisa boa
  • Poderes escondidos – os outros me avaliam melhor do que eu mesmo
  • Pontos cegos – eu me acho melhor nisso, mas os demais não enxergam ou avaliam assim
  • Fraqueza – eu não faço isso bem
  • Áreas não testadas – domínios onde você não se aventurou antes
  • Não sei – você precisa de mais comentários sobre essas facetas comportamentais

 

  1. Priorize o feedback

O terceiro step é descobrir através do feedback o que é preciso para o seu trabalho atual e até para as próximas oportunidades de carreira (sim, pense no futuro e não apenas onde está agora). Compare as principais necessidades com sua avaliação e como você empurra contra elas. Depois disso, você identifica quais são as áreas que precisam realmente ser trabalhadas.

 

  1. Anote suas áreas em excesso

Já ouviu falar que o excesso de força pode ser tornar uma fraqueza? Isso mesmo. Tudo na vida precisa de uma medida harmoniosa e equilibrada. Por exemplo, se você é muito bom em analisar e pensar em melhorias de processos para sua empresa e essa força entra em jogo em todas as interações com os demais profissionais da sua equipe, eles podem enxergar você como negativo e alguém que sempre encontra falhas e não está satisfeito com nada. Esta é a consequência, mas não intencional de usar uma força que está bem desenvolvida. O que você precisa ter em mente é: observe a maneira como dosa e direciona suas maiores forças nas diferentes situações que tem na sua vida profissional. Busque o equilíbrio.

 

  1. Áreas de desenvolvimento ou fraqueza

Saber que você não é tão bom em algo e identificar sua fraqueza significa que você ganhou metade da batalha, isso porque agora que está consciente disso, a probabilidade de trabalhar para complementar essa “deficiência” aprendendo novas habilidades ou recebendo ajuda de outros para corrigi-la é maior. A melhor maneira para lidar com as áreas de desenvolvimento é através da criação de um plano de desenvolvimento, que envolve basicamente três marcos fundamentais:

  • Esticando tarefas nas quais você desenvolverá a habilidade.
  • Feedback contínuo para ajudá-lo a acompanhar o progresso.
  • Formas que você pode consolidar a aprendizagem para que isso se torne um hábito.

 

É importante destacar que todo mundo tem alguma fraqueza. Por isso, em vez de trabalhar diretamente na sua para corrigi-la 100% e transformá-la em uma força, você pode encontrar uma maneira indireta de compensá-la, por exemplo contratando pessoas com os conjuntos de habilidade perdidos ou reestruturando suas responsabilidades atuais.  Lembre-se de que você foi selecionado e contratado por seus pontos fortes.