CONARH: Endomarketing – Como utilizá-lo para apoiar o direcionamento estratégico do negócio

0
336

Endomarketing, ou marketing interno como é popularmente chamado, é uma estratégia que visa melhorar/posicionar a imagem da empresa perante aos seus colaboradores, levando em conta suas sugestões e demandas e tornando o próprio colaborador um “fã” da marca, afinal ninguém melhor que o próprio funcionário, que está em contato com os processos da empresa diariamente, para influenciar pessoas de modo geral.

Apesar de o nome sugerir que sejam estratégias do departamento de marketing, na verdade, trata-se de uma junção entre este setor e o RH, que está diretamente ligado as necessidades dos seus colaboradores, para que assim ambas possam transformar as dificuldades em possibilidades de melhorias e assim garantir o melhor ambiente de trabalho para todos. O Endomarketing visa motivar e engajar os colaboradores para que os mesmos sintam-se parte da empresa e importantes para a corporação, sabendo que seus valores estão alinhados e que serão ouvidos independentes da posição hierárquica.

Para que as estratégias sejam de fato promissoras, o RH e o Marketing precisam trabalhar em cima da interação da empresa com o colaborador, desenvolvendo atividades diárias que resultam na motivação da equipe como treinamentos para capacitar os colaboradores e prepara-los para encarar as atividades do dia-a-dia, valorização do desempenho da equipe e individual, respeito ao trabalho desenvolvido, ações que estimulam a participação da família, entre diversas outras que aproximem o funcionário da empresa.

Mas afinal, por que trabalhar estratégias de Endomarketing na minha empresa?

O Endomarketing auxilia, indiretamente, em um aumento considerável da renda dentro da corporação, é a velha história de que quando os colaboradores estão mais felizes em seu emprego seu rendimento é melhor e eles se encontram mais dispostos e aptos a darem ideias e sugestões aos seus líderes. Isso acarreta na diminuição de gastos e rotatividade na empresa, aumentando os resultados positivos.

Alguns dos efeitos do Endomarketing:

  1. Colaboradores motivados;
  2. Otimização de produtividade;
  3. Diminuição do turnover (índice de rotatividade de funcionários);
  4. Melhora no clima organizacional, tornando-o mais saudável;
  5. Colaboradores leais e ativos;
  6. Aumento na qualidade e bem estar.

E como posso implementar o Endomarketing na minha empresa?

Precisa-se ter em mente que o Endomarketing vai trabalhar a parte interna da empresa. Os colaboradores são o público alvo e é neles que a estratégia deve se focar. E para que isso dê certo, é necessário que o RH esteja em contato com todos os colaboradores e compreenda o que pensam a respeito da empresa, ou seja, como eles enxergam a empresa e o que eles acreditam que possa ser mudado e/ou melhorado.

Tendo essas informações em mãos, é hora de, juntamente com o setor de marketing, dar início as elaborações das estratégias, visando aumentar a proximidade dos colaboradores junto à empresa.

Além disso, é importante que seja trabalhado formas de reconhecimento. O que hoje chamam de renumeração estratégia, ou bonificação por resultados, é uma ótima forma de mostrar ao funcionário que ele está sendo visto e seus esforços estão sendo reconhecidos.

Uma vez que as ações estão sendo traçadas é hora de colocar a mão na massa, porém, não se deve esquecer de manter pesquisas de satisfação e ficar atento as opiniões dos colaboradores perante ao que está sendo implementado durante e após o processo. Afinal, comunicação é a chave principal dentro de qualquer corporação.

Tendo isso em mente, na cobertura do CONARH 2017, estivemos com Karin Leitzke, Diretora de RH do Grupo Dimed, onde ela nos explica como utilizar o Endomarketing para apoiar o direcionamento estratégico do negócio.

BlogRH: Qual o papel do Endomarketing no engajamento dos colaboradores?

Karin: Primeiro precisamos nos perguntar o que é engajamento e por que as pessoas se engajam, entendendo isso facilita o processo de Endomarketing e entende-se que as pessoas se engajam quando vêm sentindo em algo. O Endomarketing tem o papel de fazer sentido para os colaboradores e mostrar o que eles estão fazendo dentro da organização, então temos a missão de mostrar para as pessoas o que é essa organização, para onde ela está indo, qual é a visão dela, quais são seus valores, e se isso fizer sentido para os colaboradores eles vão se engajar, então temos que estar a toda hora retomando esse sentido para a empresa.

BlogRH: Como o endomarketing se direciona em relação a estratégia organizacional?

Karin: É necessário que se conheça muito bem a estratégia organizacional da empresa e o negócio e em conjunto conhecer as pessoas que estão dentro desta estratégia, porque o Endomarketing tem o papel de fazer essa ponte entre os colaboradores e a estratégia da empresa, e se conseguir fazer bem essa ponte, a comunicação fluí.

BlogRH: Qual o papel da liderança na estratégia de Endomarketing?

Karin: Na realidade, eu diria que o Endomarketing não vai existir como área se não tiver lideranças entendendo o seu papel de comunicadores. Pode existir a melhor área de Endomarketing construída, com o melhor budget, com uma super agência, mas se a liderança que está à frente dos colaboradores não entender a importância da área e do que está sendo comunicado, não será possível existir a área de Endomarketing, pois ela só deve existir se estiver conversando com as lideranças e estiver atendendo suas necessidades e nesse ponto a liderança é uma extensão da área, um reforço que  precisa ser um trabalho em conjunto e muitas vezes são os líderes que alimentam o que estamos precisando comunicar, do que estamos precisando falar e o que estamos precisando significar para as pessoas dentro da organização.

BlogRH: Como o RH consegue vender melhor essa estratégia de Endomarketing para o CEO?

Karin – Primeiramente o RH precisa conhecer o negócio, eles precisam falar a língua do negócio. O RH precisa aprender a se comunicar com esse CEO e se conseguir entender e contribuir através das pessoas, assim a comunicação fica “fácil”. O que acontece, muitas vezes, é que a área de Recursos Humanos entende muito de pessoas e pouco da empresa, então falta entender muita mais do negócio para mostrar ao CEO que através das pessoas iremos chegar aonde precisa e dar resultados para a empresa e assim ir propondo e experimentando. Algumas vezes você vai dar cinco passos para a frente e dois para trás, mas é necessário ir em frente e com o tempo a organização se dará conta da importância que o endomarketing tem entre a estratégia e as pessoas.

BlogRH: Quais foram os principais indicadores que demostraram o bom resultado do endomarketing no Grupo Dimed?

Karin: Acredito que os principais indicadores para nós são os indicadores do negócio. Se o negócio vai bem é sinal de que está fazendo sentido para os colaboradores trabalharem e alcançarem as metas. Podemos dar o exemplo dentro do grupo Dimed, o ano de 2016 foi um ano muito difícil na economia brasileira e de muita dificuldade para a grande maioria das empresas, foi o ano em que mais crescemos batendo recordes de venda e também de eficiência na nossa logística e não faríamos isso se não fosse através das pessoas e de um Endomarketing que estivesse alinhado com seus valores. Depois temos os indicadores específicos de cada área e temos o indicador de pesquisa de clima e engajamento. Este ano, por exemplo, aplicamos a pesquisa do Great Place to Work, uma das perguntas era “O que faz você continuar trabalhando no Grupo Dimed?” e 66% das respostas estavam veiculadas aos nossos valores, ou seja, as pessoas entendiam que seus valores estavam conectados aos valores da organização. Isso foi um importante indicador para nos mostrar que estamos fazendo um bom trabalho e comunicando os valores da empresa aos nossos colaboradores.

Karin Leitzke é Diretora de RH do Grupo Dimed. Possui mais de 20 anos de experiência Recursos Humanos  e é conselheira da ABRH-RS.