Os estudos iniciais sobre a Geração Y abordaram algumas características que a tornaram estigmatizada no mercado de trabalho: seria indisciplinada, impaciente, insubordinada, imatura, sem vínculo com a empresa e com conhecimentos rasos.

Passados alguns anos, foi possível realizar uma análise mais ampla. Nascidas entre 1980 e 1990, as pessoas da Geração Y possuem hoje de 26 a 36 anos. Estão no mercado de trabalho há algum tempo. Algumas chegaram a posições de liderança. Como podemos, então, compreender melhor esta geração?

Trazemos aqui algumas de suas características principais. Criar um ambiente corporativo alinhado a essas características é proporcionar um ambiente que valorize expectativas e valores cada vez mais presentes nos profissionais de diferentes faixas etárias. Sim, porque os anseios da Geração Y vêm influenciando as anteriores e novas gerações. Veja a seguir.

  1. Relação diferente com a hierarquia. Antes taxados de insubordinados, os profissionais da Geração Y não desrespeitam seus chefes, mas se relacionam de forma diferente com eles. Criados em uma estrutura familiar menos hierarquizada do que as gerações anteriores, enxergam as pessoas de diferentes idades e cargos de forma mais igualitária. Portanto, não possuem receio em emitir opinião, independente da posição hierárquica ocupada pela pessoa com que estejam falando.

O que fazer: crie um ambiente favorável ao diálogo, onde as pessoas se sintam à vontade para trocar ideias e dar opiniões. Não adianta simplesmente mandar fazer alguma coisa. Eles irão questionar. Não por insubordinação, mas buscando entender o que precisa ser feito e o porquê. Afinal, encontrar um sentido no que fazem é fundamental.

O feedback não precisa ser em um momento formal, como após uma avaliação de desempenho. A Geração Y demanda por um feedback que pode – e precisa – ser dado a qualquer momento, de forma honesta, transparente e respeitosa, visando seu aprimoramento pessoal e profissional. E, mais importante do que falar é ouvir. Assim como querem saber como estão indo, também possuem a necessidade de falarem seus pontos de vista. O ambiente de trabalho se torna mais cooperativo. Todo mundo sai ganhando.

  1. Busca por evolução na carreira. Aquela geração que parecia infiel à empresa, “pulando de uma para outra”, quer, na verdade, oportunidades para se desenvolver pessoal e profissionalmente. A Geração Y quer participar de projetos onde possam contribuir genuinamente a aprender novos conhecimentos e habilidades. Também possuem outro olhar sobre o trabalho. Não veem mais sentido em trabalhar 10 ou 12h por dia para, depois, curtirem a aposentadoria. O descanso e o lazer precisam fazer parte da trajetória, não apenas do final da história.

O que fazer: torne a empresa um grande ambiente de aprendizagem. Como isso é possível? Criando trilhas de desenvolvimento, disponibilizando conhecimento em diferentes canais, favorecendo a troca de informações, possibilitando a participação em projetos multidisciplinares, entre outras possibilidades.

Apoie o desenvolvimento de competências através de programas internos, dê suporte e acompanhe a evolução na carreira. Mentoria e coaching são metodologias eficientes que, cada uma com seu objetivo, auxiliam os colaboradores a alcançarem patamares superiores de desempenho.

Além disso, preocupe-se com a qualidade de vida da equipe. Este é um valor muito presente na Geração Y. Eles valorizam o trabalho, mas reconhecem a importância de outras esferas da vida. O trabalho deve se encaixar no modelo de vida que querem ter, não o contrário. Flexibilidade é a palavra. Tem a expectativa de poder trabalhar em diferentes locais e com horários flexíveis. Home office é uma tendência cada vez maior.

  1. Trabalho por um propósito. A Geração Y busca um sentido no que faz. Aderem a causas. Não querem fazer um trabalho por fazer. Tem a necessidade de compreender a razão de seu trabalho e saber como estão contribuindo para o resultado.

O que fazer: compartilhar é a palavra. A Geração Y precisa conhecer a missão e a visão da empresa. Precisam saber qual a relevância de seu projeto e de seu trabalho para os objetivos estratégicos. Querem saber como o seu trabalho impacta a vida das pessoas, os resultados organizacionais. Compartilhar essas informações é fundamental para que os colaboradores atribuam um valor ao seu trabalho e se sintam motivados a fazerem o seu melhor.

Como podemos observar, a Geração Y trouxe valores que estão cada vez mais incorporados em nossa sociedade, não se restringindo a uma faixa etária específica. Colaboração, crescimento pessoal e encontrar um sentido no trabalho se tornaram elementos importantes aos profissionais de todas as idades. As empresas que estiverem atentas a essas questões e conseguirem criar ambientes de trabalho mais alinhados à nova realidade, terão um diferencial competitivo, atraindo e retendo os melhores talentos do mercado.