Antonio Salvador e Ana Elisa Siqueira, em sua palestra no CONARH chamada “Para onde vai a saúde na sua empresa? Dos desafios às soluções”, avaliam porque a saúde corporativa se tornou um enorme desafio para as empresas. Eles nos contam alternativas e soluções para se enfrentar custos em acelerada alta, os quais já se tornaram o segundo maior orçamento de RH.

O equilíbrio da vida profissional com a vida pessoal é fundamental para melhoria da produtividade, motivação e a satisfação dos colaboradores dentro do ambiente de trabalho. Um dos maiores desafios para o RH é como promover a prevenção e atenção à saúde dos colaboradores, pois isso vai muito além de oferecer um plano de assistência médica aos funcionários, mas sim conscientiza-los sobre o cuidado com sua própria saúde.

Para ajudar-nos com estes desafios, o CONARH 2018 contou com a presença de Ana Elisa Siqueira, Presidente do Conselho da Aliança para Saúde Populacional (Asap) e sócia-presidente do grupo Santa Celina, juntamente com Antonio Salvador, Vice-presidente executivo de Recursos Humanos do GPA.

Com o aumento da expectativa de vida da população, o segmento de saúde vem sendo um dos que mais crescem economicamente no país. Hoje o custo com saúde, seja ela pública ou privada, é altíssimo. Grande parte dos financiadores deste sistema são as corporações que pagam aos seus prestadores de serviços pelos números de procedimentos realizados e não mensuram a qualidade como estes serviços são oferecidos.

As empresas estão só preocupadas em oferecer aos seus funcionários um benefício de saúde, onde possibilitam um acesso a uma rede de clínicas, hospitais e especialistas credenciados onde podem utilizar quantas vezes quiser.

Diante deste cenário na saúde é necessário mudarmos nosso modo de pensar e agir para conseguirmos produzir um sistema mais saudável, com formas de gestão inovadoras para deixarmos de fazer a gestão de doença e passarmos a gestão da saúde.

A iniciativa do grupo GPA foi investir na saúde corporativa onde priorizam a saúde de seus colaboradores e dependentes, que tem como foco a prevenção e o bem-estar do funcionário, com isso alcançaram resultados significativos para redução de custo com plano de saúde, conforme relata Antonio Salvador.

Durante sua apresentação no CONARH, Antonio falou sobre o que mais lhe chamou a atenção quando iniciou no Grupo GPA há seis anos, “o custo que tínhamos com plano de saúde era cerca de 360 milhões de reais por ano, destes números o mais impressionante eram o número de mulheres grávidas no plano de saúde” e foi a partir disso que se viu a necessidade de mudar a estratégia a fim de diminuir o número de internações e idas ao pronto atendimento e trabalhar na prevenção e conscientização dos funcionários, para consequentemente diminuir seu custo com os prestadores de serviços de plano de saúde.

A realidade de muitas empresas hoje é fazer apenas a gestão do custo ficando para segundo plano a possibilidade de fazer uma gestão de doença e até mesmo a gestão da saúde.  A presidente da Asap, Ana Elisa, falou durante o painel no CONARH que é preciso se ter um olhar mais completo para a saúde e por isso o RH precisa promover iniciativas que faça com que desde a liderança mais baixa até o CEO, todos entendam a importância da promoção de saúde e prevenção para temos uma população mais saudável e para isso é necessário implementar incentivos para que seus colaboradores se adequem a este modelo de gestão de saúde.

Para fazer com que as pessoas fiquem menos doentes é preciso trabalhar para que elas não fiquem doentes, não é tratar a doença apenas quando ele se manifesta, mas trabalhar com a prevenção para que não apareça, comenta Ana Elisa.

Aos congressistas do CONARH, Ana Elisa destacou os pontos mais importantes para promover esta mudança e evoluirmos para um sistema de saúde mais saudável, sendo eles: promoção; prevenção; atenção primária; e, coordenação de cuidados. Para este sistema é fundamental o envolvimento da liderança em todas as ações, pois eles precisam ser um exemplo de equilíbrio entre a família e o trabalho.

Uma solução é a promoção de um modelo de atenção primária a saúde dos colaboradores e seus dependentes proporcionando um atendimento médico humanizado para toda família que vai acompanha-los ao longo do tempo, este conhecerá o histórico de saúde de cada integrante e poderá orienta-los sobre os melhores cuidados com a saúde e a adoção de hábitos e estilos de vida saudáveis. Ao fazer parte desta rede de cuidados com a saúde, os usuários tendem a deixar de ir ao pronto-atendimento de forma desnecessária e reduzindo assim o número de internações, relata Ana Elisa.

Ao finalizar sua contribuição ao CONARH, Antonio Salvador mencionou que a estratégia adotada pelo grupo GPA para estimular a adesão, engajamento e incentivar seus colaboradores foi oferecer como recompensa, por exemplo, tirar a coparticipação.

Com estas iniciativas para melhor gestão da saúde nas empresas, os prestadores de serviços precisaram desenhar novos modelos para aumentar o grau de satisfação dos usuários ou estarão perdendo espaço no mercado.

Quer saber mais? Assista a entrevista do Antonio Salvador concedida ao BlogRH.

Resultado de imagem para antonio salvador pão de açucar

 

Antonio Salvador
Vice-presidente Executivo de RH, Gestão e Sustentabilidade do GPA

 

 

Resultado de imagem para Ana Elisa Siqueira

 

Ana Elisa Siqueira
Presidente do Conselho da Asap – Aliança para a Saúde Populacional