A atividade comercial é uma carreira apaixonante e que pode trazer excelentes recompensas. A chave para fazer dela seu grande sucesso é ser o primeiro em sua área a contemplar a necessidade do consumidor: suprir o que às vezes nem mesmo ele imaginava que precisasse.

Hoje te ensinaremos como implementar a fórmula que o Google usou para se posicionar como líder absoluto e se tornar uma das maiores empresas do mundo. Você poderá adaptar essas dicas para seu próprio negócio, tornando-o muito mais lucrativo e requisitado por seus clientes.

A concorrência é algo positivo
O primeiro passo é encarar a concorrência como algo positivo. Ao contrário do que muita gente possa imaginar, é através dela que se ganha impulso para vender mais, atender melhor, criar e expandir seus negócios. Afinal, você sempre vai querer que sua marca alcance um sucesso maior do que as outras, certo?

Um produto estagnado e com poucos estímulos de crescimento e atualização corre sérios riscos de ser rapidamente esquecido no mercado, ou seja, é substituído por outro que o consumidor considera melhor, justamente por atender as suas expectativas.

Grandes nomes da Internet atual, como o site de comparação de preços Buscapé, começaram de uma ideia (de um orçamento) bem simples. A maneira como o site conseguiu vencer a desconfiança dos varejistas (que não queriam disponibilizar preços para comparação com seus concorrentes) e também como driblou os outros sites com a mesma proposta que apareceram a seguir, acabou por levar a empresa ao posto de maior site de comparação de preços da América Latina.

Outra startup que tem colhido os louros da vitória é a Nubank, que de 2013 para cá conseguiu conquistar a confiança de milhões de clientes oferecendo uma ideia inovadora e que agrada o consumidor: um cartão de crédito com bandeira internacional e sem taxas. Obviamente outras opções apareceram, mas a maneira como o atendimento prioriza o tom informal, porém eficiente, de atendimento e suporte ao consumidor conseguiu cativar seus clientes. Hoje já é oferecido, inclusive, um programa de pontos e vantagens que inclui, entre outras coisas, serviços de streaming de filmes e música.

Mas de todas as empresas que começaram como um sonho entre 4 pessoas, há apenas uma que se destaca de forma significante de todas as outras: o Google.

Como o Google se tornou um gigante
Sem nenhuma concorrência direta, o Google é uma empresa gigante. São 60 mil funcionários atuando em 50 países: nada mal para uma ideia que teve como primeira sede uma garagem, em 1995.

Larry Page e Sergey Brin, estudantes de Stanford, firmaram sua parceria para fundar um mecanismo de busca que usava links que determinassem a importância das páginas na web. Batizado primeiro como “BackRub” e depois de “Google” (expressão matemática para o número 1 seguido de 100 zeros), a ideia era organizar as informações de maneira que se tornassem úteis de verdade para o usuário de internet.

Em pouco tempo, e com diversos investimentos, a Google Inc. nasceu oficialmente e se tornou o principal nome quando falamos de internet. São diversos canais que incluem serviços de armazenamento, GPS, navegadores, e-mails, redes sociais e o cada vez mais poderoso YouTube. O lucro líquido chegou a US$5,42 bilhões só no primeiro trimestre de 2017.

Da garagem do subúrbio, o Google foi para o “Googleplex”, em Mountain View, Califórnia, e depois ganhou o mundo, expandindo-se sem parar, mas sem perder suas características coloridas e sua maneira diferente de criar.

Para conseguir esse sucesso o Google usou um segredo. Uma fórmula que qualquer empresa, grande ou pequena, pode usar. Graças a ela você e seu negócio estarão na frente à frente da concorrência.

A fórmula Google de 5 dias – Design Sprint
Jake Knapp, da Google Ventures, queria tornar seus dias mais produtivos e sabia que tinha que haver uma maneira mais eficiente (e rápida) de criar e testar produtos. Em entrevista à Inc. Magazine ele contou que reuniões, verificar e-mails o dia inteiro e fazer 10 coisas ao mesmo tempo não são tão úteis quanto se concentrar numa coisa só e fazê-la acontecer.

Em uma viagem para a Suécia, ele se encontrou com outros engenheiros do Google para criar uma nova plataforma de bate-papo em vídeo. Naquela mesma semana nascia o Google Hangouts.

Os poucos dias de trabalho dedicado valeram exatamente o que valeria de três a seis meses de trabalho. Foi então que nasceu o método do Design Sprint (do inglês, “sprint” significa “pequena corrida”, “maratona rápida”).

O método foi usado em vários outros projetos do Google, como a busca, o GMail e o Google X. Ele também fez o mesmo com as startups que a empresa investiu, como o Slack, Nest, Blue Bottle Coffee e 23 e Me.

A ótima notícia é que você pode aplicar ao seu projeto para torná-lo possível em uma semana! A ideia é que você identifique o problema na segunda-feira e apresente o protótipo já na sexta. Sem gastos desnecessários e sem perda de tempo.

Quer saber como? Vamos lá:

APLICANDO OS SPRINTS
Antes de começar, é preciso colocar uma equipe de sete pessoas – mais pode diluir o trabalho e menos pode não obter opiniões diversas suficientes. O fundador, o CEO ou quem quer que seja o responsável pelo projeto deve estar presente, bem como pelo menos um especialista em finanças, marketing, suporte ao cliente, tecnologia e design, vai depender da área de atuação da sua empresa e que projeto você quer tirar do papel.

O Sprint deve ocorrer em uma sala com bastante espaço, de preferência com um quadro branco para anotações e nada de mensagens de texto, tweets ou qualquer distração. Os celulares ficam guardados para a hora do intervalo.

Dia 1: Map / Objetivo
O foco do primeiro dia não é resolver o problema, mas defini-lo.

  • Cada funcionário presente deve ter suas considerações sobre sua área de especialização: O que é economicamente viável? Qual o perfil dos clientes? O que queremos alcançar? Todos devem apresentar suas informações.
  • Juntos, o grupo deve decidir sobre um objetivo de longo prazo para a empresa: o que queremos fazer seis meses a partir de agora, ou dentro de um ano? Em seguida, gire o foco para este momento em que estão juntos: qual problema você quer resolver esta semana e como resolver esse problema o ajudará a alcançar o objetivo maior?

Dia 2: Sketch / Soluções
No segundo dia, as pessoas fazem trabalhos individuais e paralelos. Segundo Knapp, nessa hora o silêncio é fundamental e realmente faz as pessoas trabalharem.

  • Cada pessoa no Sprint se senta com um lápis e papel e esboça sua ideia e soluções para alcançar o objetivo da semana. O esboço não é uma habilidade que todos têm, ou seja, é por isso que é importante enfatizar aos funcionários que o foco será sobre a ideia e não sobre a arte.

Dia 3: Decide / Escolhendo a melhor opção
No terceiro dia de trabalho todas as ideias e esboços são afixadas numa parede ou num quadro branco, sem assinatura ou sem a identificação de quem fez o quê. Isso é ótimo porque muitas pessoas são introvertidas e não se sentem confortáveis em lançar suas ideias.

  • Todos os projetos na parede permanecem anônimos. Assim, nada poderá influenciar a escolha final.
  • Todos examinam as ideias em silêncio. Aqui todos estão no mesmo barco, tanto o CEO da empresa quanto o funcionário e suas ideias são levadas em consideração da melhor forma.
  • Em seguida, cada participante recebe adesivos ou post-its, que podem colocar em silêncio ao lado dos aspectos individuais de cada idéia que eles gostam especialmente.
  • As soluções são então discutidas uma a uma.

Dia 4: Prototype / Protótipo
Um dia parece pouco para construir um protótipo inteiro, mas Knapp ressalta que você já terá a maior parte do que precisa, principalmente se já trabalha na área de atuação, e pode reaproveitar algumas coisas. O que você não tiver ainda pode ser feito por freelancers e profissionais especialistas no nicho de atuação.

  • Na Workana você pode encontrar profissionais especializados em diversas áreas e que podem produzir o que você precisa. A vantagem de contratar um freelancer é a rapidez e a garantia de que o trabalho será feito por alguém que trabalha especialmente com aquilo.
  • Lembre-se que é um protótipo e não o trabalho final ainda. Se o seu produto for um aplicativo, por exemplo, você não precisa criar um modelo de trabalho inteiro, apenas uma interface com os elementos essenciais incluídos. O protótipo também pode ser material de marketing ou um serviço, dependendo do problema que você está tentando resolver. E que pode ser feito por um profissional contratado da Workana.

Dia 5: Test / Teste
A pesquisa mostra que cinco é o número perfeito de clientes para testar seu produto e te passar um feedback.

  • No último dia, escolha cinco clientes que passarão uma hora utilizando o protótipo e falando com um membro da sua equipe. A equipe também pode assistir e tomar notas, para decidir o que precisa ajustar – ou uma renovação completa.

Como dissemos anteriormente, não há sempre um produto acabado nesta fase, mas sua equipe saberá o que precisa fazer para chegar lá. Você pode entrar em contato com novos profissionais da Workana para auxiliarem no processo de criação do que vocês precisam e refazer o projeto até que ele alcance sua forma ideal.

Em cinco dias, você terá feito o mesmo volume de trabalho que teria feito em longos meses, utilizando um tempo. Sem perceber, nós nos alongamos mais do que o necessário e é assim que a concorrência vence.

Identificar o problema, lidar com ótimos profissionais e oferecer a solução de forma rápida e que realmente funcione vai fazer sua marca decolar!