Não é novidade que a chamada geração “millennial” (oriunda da virada do milênio) tenha chegado ao mercado com uma série de aspectos e demandas muito diferentes dos profissionais de outras gerações. Com o passar dos anos, cada geração trouxe novas ideias, comportamentos, problematizações e até mesmo soluções ao mercado, e com as novas gerações não é diferente – é preciso compreendê-la, bem como as suas necessidades.

O mercado se transforma em ritmo acelerado e os chamados millennials serão a futura força de trabalho. Acredita-se que até 2020, cerca de 48% dos funcionários das empresas sejam pertencentes à esta geração (dados de uma pesquisa realizada pela Universidade da Carolina do Norte – EUA), que tanto gera reclamações por parte dos profissionais das demais faixas etárias, mas que têm muito a contribuir e que já se encontram ocupando cargos nestas empresas – muitas vezes em funções estratégicas.

Mas como ajudar a desenvolver estes profissionais, fornecendo-lhes um alicerce sólido de conhecimentos assertivos ao seu sucesso? Contribuir com o desenvolvimento pessoal e profissional dos funcionários deve ser uma das principais preocupações de qualquer gestor de empresas – a sua obrigação é ajudar a expandir carreiras e contribuir para o desenvolvimento do indivíduo que trabalha na sua corporação, o que não deve ser diferente com as novas gerações. Uma das demandas que tem se tornado um verdadeiro desafio é quanto à motivação destes novos profissionais: como motivar as novas gerações?

 

A importância da motivação

A motivação contínua é algo muito importante para todo tipo de profissional, e consequentemente, para a empresa, e inclusive para o ambiente de trabalho. A era do conhecimento também é a era da valorização e desenvolvimento humano. Por mais que um produto ou serviço que a empresa desenvolva seja inovador e bem posicionado no mercado, o que está por trás, ou seja, a forma como ocorrem os processos e o tipo de ambiente e cultura organizacional em que o profissional está inserido, também são importantes e fazem a diferença nos resultados.

Motivar pessoas é uma arte, além de uma necessidade. É preciso que a empresa incentive uma cultura de recompensas – não apenas final, mas algo que esteja incutido no cotidiano de seus funcionários. No caso das novas gerações, é preciso ainda reconhecer as suas características, anseios e necessidades para saber qual o tipo de ação que motive mais e melhor. Pensando nisso, listamos algumas alternativas para motivar equipes e colaboradores jovens.

 

1) As novas gerações gostam de flexibilidade

Uma forma de motivar as novas gerações é oferecer flexibilidade no trabalho. É por isso que muitas empresas têm optado por horários flexíveis, gestão por projetos ou mesmo o trabalho remoto. Na verdade, isso não é uma novidade: se vivemos em plena era tecnológica, por que não utilizar as tecnologias para otimizar a jornada de trabalho e a produtividade?  Nem sempre isso é possível em todos os setores produtivos, a flexibilidade é algo que pode ser adaptado gerando mais satisfação e resultados ainda maiores.

 

2) Ouça os profissionais pertencentes às novas gerações

Participar das decisões é uma forma de motivar estes profissionais das novas gerações. Os colaboradores mais jovens querem participar, interagir, colaborar e serem ouvidos. Isso pode ser muito motivador!

 

3) Presença e comunicação são importantes para as novas gerações

É importante que as lideranças mostrem-se interessadas no trabalho das novas gerações, que os feedbacks sejam constantes, assim como os diálogos e a  avaliação de desempenho, entre outras ferramentas, sejam adaptadas. Para se ter uma ideia, é motivador elogiar ou chamar a atenção prontamente, através de e-mails ou conversas rápidas, acompanhando a evolução do profissional, do que optar por conversas e entrevistas formais ou formulários fechados.

O feedback, um importante recurso comunicativo e de gestão, parece funcionar melhor com as gerações mais jovens – sendo muitas vezes um desafio para os colaboradores de outras faixas etárias. No entanto, reveja os métodos de incentivar o feedback para que seja mais humanizado e funcional – fica a dica: o gestor e os profissionais ligados diretamente ao desenvolvimento pessoal precisam aprender a ouvir mais o que os jovens profissionais querem dizer, sem deixar de transmitir o que é necessário.

 

4) Qualidade de vida e ambiente de trabalho motivador

Práticas que promovam a qualidade de vida são muito bem-vindas entre os profissionais das novas gerações. Jogos, programas de alimentação saudável, práticas de exercícios físicos no trabalho, jogos, encontros, dias temáticos, práticas de meditação, decoração e layout do espaço mais descontraído: tudo isso pode ser inspirador e motivar os colaboradores mais jovens. Contudo, é importante deixar claro que há regras e criá-las é fundamental. É importante que a empresa crie manuais de boas práticas e de conduta para que possa conduzir melhor as suas ações.

 

5) Rever sempre as atividades que motivam

As novas gerações mudam muito rápido, o que na verdade é um reflexo do mundo acelerado em que vivemos. Por isso, a empresa também deve ter flexibilidade na hora de criar ações que motivem estas gerações mais jovens, sempre mensurando os resultados.

Veja também: Os 4 níveis de avaliação em treinamento

Gostou do artigo? Quais dúvidas possui sobre universidade corporativa? Deixe um comentário!