Chegamos ao quarto capítulo da nossa série sobre Feedback e o tema de hoje te ajudará a saber também como receber um feedback. Confira!

 

Nos três primeiros artigos desta série sobre feedback foi explicado o que é um feedback , sua importância, quais as dificuldades em dar e receber um feedback, como criar um roteiro para feedback e várias dicas, além dos aspectos negativos da ausência de feedback, então não repetirei aqui estas informações. Se você ainda não leu estes artigos, acesse aqui o link para “A melhor forma de dar feedback”, “Roteiro e dicas para um excelente feedback” e “Impactos da ausência de feedback”.

Neste artigo eu estarei falando a você como dar e também como receber um feedback, afinal de contas, você dá e recebe feedback.

Lembre-se que o feedback visa o aperfeiçoamento do desempenho de uma pessoa, portanto, ele deve ter uma base de senso crítico e não de senso comum.

 

Como você dá feedback?

A maneira com que se dá o feedback está intimamente relacionada à receptividade e eficácia do mesmo.

Um feedback pode ser formal quando ele é um processo pontual e agendado ou informal quando ocorre continuamente no dia a dia.

Deve-se dar um feedback positivo quando se deseja repetição do comportamento. Ele pode ter efeitos curativos e ajudar a pessoa a superar obstáculos em sua vida.

Quando se deseja mudança de comportamento dá-se um feedback corretivo, onde você sinaliza um determinado caminho a seguir com base em normas, regras e contexto.

Cuidado com os feedback insignificantes, ou seja, aqueles que são vagos, sem propósito, que geram uma resposta mínima e nenhum impacto, por exemplo: “É isso aí!”, “Muito bem!”, “Meus parabéns!”.

Por fim, não dê um feedback ofensivo, onde você ridiculariza, menospreza, é agressivo ou diminui o receptor. Atenção! Esse tipo de feedback pode causar danos à personalidade e à autoestima das pessoas.

 

Como você recebe um feedback?

Primeiro, ouça atentamente. Você terá sua chance de falar, então, aguarde!

Demonstre interesse no que é dito e seja receptivo mesmo que no momento não seja agradável e posteriormente reflita e tire conclusões.

Discordar é permitido, mas mantenha a mente aberta, procurando entender as razões da pessoa que fala.

Dê seu ponto de vista, assim você também deixa o emissor entender o que levou você a fazer algo ou apresentar certo comportamento.

Evite pensamentos paralelos e não fique construindo justificativas, como se devesse responder a cada ponto apresentado.

Peça tempo, se precisar, para entender a situação e dê exemplos para clarificar a situação. Peça para que fique claro o que é esperado para o futuro. Não tente presumir algo que você não entendeu.

Não hesite em pedir desculpas, em caso de erros, como sinal de respeito.

Por fim, lembre-se que você pode aprender com o que está ouvindo. Entenda que esta é uma oportunidade de desenvolvimento pessoal e profissional.

 

Conclusão

O profissional em busca de excelência não espera para receber feedbacks, ele os solicita sem receio ou vaidade!

Se a organização não possui em sua cultura a prática do feedback é preciso que seja realizado um processo de conscientização sobre a importância do mesmo. Muitos profissionais têm realmente maiores chances de ascensão na carreira depois que recebem feedback sobre sua atuação na empresa, pois essa é uma oportunidade para identificar os pontos fortes e os que precisam ser melhorados no colaborador.

 

feedback

 

Como um sistema de RH pode ajuda-lo com este processo?

Um sistema de RH especializado em gestão de pessoas ajudará você a criar o hábito de dar feedbacks, pois ele o alertará de longos períodos sem feedback, também ajudará você a manter um controle centralizado destas ações e permitirá que estas informações sejam compartilhadas com seus superiores e sucessores. Além de tudo isto, quem está recebendo o feedback também terá a informação de fácil acesso, permitindo a ele também registrar sua opinião.

Um software especializado ajuda a incorporar a ação de feedback na cultura da empresa e dá a área de recursos humanos o controle deste processo.

De forma alguma um sistema de RH deve substituir a ação pessoal de dar feedback, mas ele auxiliará muito, até mesmo dando orientações a quem dá e a quem recebe o feedback.

 

E-book sobre feedback

Este artigo tem apenas o objetivo de introduzir este assunto, pois já há um e-book gratuito, do mesmo autor, com mais definições e exemplos. Digite exatamente o termo “ebook feedback” que você encontrará o link para fazer o download deste e-book ou procure na página do Linkedin e Facebook do autor Ricardo Vignotto.

Este e-book tem a finalidade de te orientar da melhor forma possível a como dar excelentes feedbacks. Serão apresentadas as técnicas mais adequadas de uma maneira prática e direta e ele o ajudará a criar um roteiro para um bom feedback.